Nota de esclarecimento sobre as Promoções

No dia 28 de fevereiro de 2012, a direção do SINTERN tomou conhecimento que a ação de execução das promoções foi movimentada. Por esta razão, no dia 6 de março de 2012, o Sindicato se reuniu com os advogados para tratar sobre a questão.


    Neste período alguns empregados da COSERN, sem qualquer aprofundamento sobre o assunto, passaram a divulgar de forma INVERÍDICA que o SINTERN havia enviado nomes de pessoas que não estavam na questão das PROMOÇÕES. Para esclarecer a verdade, se faz necessário esclarecer alguns fatos aos trabalhadores:
    Por despacho do Juiz da 2ª Vara do Trabalho, datado de 8 de abril de 2001, exigia que a COSERN (reclamada) deveria apresentar as FICHAS FINANCEIRA E CONTRACHEQUES DOS “SUBSTITUÍDOS” (empregados envolvidos na ação), relativos aos períodos de 1993 a2003 e de 2003 até aquela data.


    O Juiz considerou que de 1998 a 2003 referia-se ao qüinqüênio como promoções VENCIDAS e de 2003 até o termo final do contrato de trabalho de cada trabalhador como VICENDAS.


    A COSERN, no lugar de enviar as fichas financeiras dos substituídos, encaminhou o material de todos os trabalhadores de 1998 até o presente. Portanto, foi a Empresa quem mandou para o Tribunal toda a documentação.


    O SINTERN recebeu da 2ª vara, através de sua assessoria jurídica, as fichas financeiras enviadas pela COSERN à Justiça. De posse deste material, o Sindicato contratou especialistas contábeis para executar os cálculos da documentação apresentada pela Empresa. Este estudo levou em consideração, em 1º lugar, se no despacho da ação principal já era entendido que as promoções seriam VENCIDAS e VICENDAS; que o PCCS continuava sob-judice até o encerramento do processo, ou até nova negociação com o Sindicato.


    Portanto, a COSERN agora não deve contestar em relação aos empregados que foram admitidos após 2003. Ao enviar suas fichas financeiras e seus contracheques demonstram reconhecer direitos aquem entrou após 2003.


    Boatos – A direção do SINTERN orienta os trabalhadores que qualquer informação que obtiverem, seja Internet ou qualquer outro canal de comunicação, sobre a movimentação de processo judicial de interesse da categoria, devem se reportar, a título de esclarecimento, ao Sindicato. Assim procedendo, o empregado evita distorção dos fatos e críticas infundadas a Entidade Sindical.


    Aos empregados que buscam denegrir as ações do SINTERN, nada melhor do que a verdade. Seus boatos levianos beneficiam a COSERN e não a categoria por quem o Sindicato luta.