Ações contra a terceirização - em 28/06/10

Faz parte da luta do SINTERN acabar com a terceirização nas atividades fins da COSERN. Essa demanda demonstra o interesse do Sindicato de garantir aos trabalhadores do quadro efetivo da Empresa a tranqüilidade, manutenção e segurança dos seus empregos, bem como, terminar com a exploração dos empregados nas terceirizadas.


Embora a legislação não permita terceirizar atividades fins, a COSERN utiliza deste subterfúgio para poder reduzir seu quadro, barateando assim seus custos, para gerar cada vez mais lucros para os acionistas. Desta forma a Empresa vem desrespeitando o Termo de Ajuste de Conduta assinado junto ao Ministério Público do Trabalho na qual assumiu o compromisso de não terceirizar.


Sem os terceirizados, o quadro efetivo de pessoal cresceria, acabando assim com os riscos demissionários e com a precarização dos serviços da própria empresa, em face da especialização e qualificação do seu quadro funcional. Vejam as ações em tramitação contra a COSERN/ESEL:
Na Vara de Caicó – tramitam 11 processos envolvendo 29 trabalhadores;
Na Vara de Currais Novos – tramitam 18 processos envolvendo 18 trabalhadores;
Na Vara de Pau dos Ferros – tramitam 3 processos envolvendo 12 trabalhadores;
Nas Varas de Mossoró – Tramitam 10 processos envolvendo 16 trabalhadores.
Na Vara de Goianinha – tramitam 23 processos envolvendo 23 trabalhadores.
Na Vara de Natal – tramita 2 processos envolvendo 2 trabalhadores.

Atualmente existem mais de 100 processos tramitando na Justiça do Trabalho, de terceirizadas contra a COSERN.