Notícias Gerais

POR UM ACT JUSTO

Demonstrando disposição para evoluir nas negociações por um ACT justo, Intersindical apresenta proposta à Neoenegia para fechar Acordo

Uma nova rodada de negociação foi realizada hoje, 30, entre a Intersindical e os representantes da Neoenergia. O encontro se estendeu por toda manhã e foi marcado pelo esforço da Intersindical em construir um ACT justo para os trabalhadores do grupo. Logo no início, os dirigentes sindicais lamentaram a postura da Neoenergia em tentar retirar do debate unificado as questões apresentadas na pauta. Esta atitude dificulta a evolução das negociações, já que há itens que precisam ser tratados e ter do grupo respostas concretas sobre suas resoluções.
Com o objetivo de evoluir para o fechamento do acordo, a Intersindical apresentou uma nova contraproposta (ver box abaixo) que representa a disposição da bancada sindical em negociar e buscar o fechamento do ACT. “Demonstramos nosso compromisso com a categoria e com o processo negocial apresentando uma proposta que contempla o desejo dos trabalhadores e leva em conta a capacidade da Neoenergia”, frisou o coordenador da Intersindical José Fernandes.
Frustando a expectativa de evolução das negociações neste encontro, a bancada patronal explicou que necessitava de mais tempo para avaliar a contraproposta apresentada pela Intersindical. O Gerente de RH, Bruno Coelho, agendou uma rodada para o próximo dia 06/11, (sexta-feira). Pelo conjunto dos temas, a próxima negociação seguirá durante todo o dia para assegurar uma discussão ampla dos itens da pauta.
RESPEITO COM OS ELETRICISTA
Os dirigentes da Intersindical foram enfáticos na cobrança sobre as demandas dos eletricistas e demais trabalhadores do grupo que atuam em atividades de risco. A resposta apresentada pelos
representantes do grupo em relação as cobranças da Intersindical feitas na última reunião não traduziram a gravidade da situação. Sobre as cobranças, a Neoenergia se limitou a dizer que irá realizar campanhas de conscientização com os eletricistas. O grupo também praticamente se omitiu sobre as determinações de cortes realizados à noite, o que expõe significantemente a integridade dos trabalhadores.
A resposta da Noenergia sobre essa situação soou como pouco caso com a vida desses profissionais. A Intersindical repudiou a postura de descaso, o que fez os representantes patronais se comprometerem rediscutir internamente e apresentar outras definições no próximo encontro.
CONTRAPROPOSTA RESUMIDA DA INTERSINDICAL
REAJUSTE SALARIAL 3,89% + 1% GR
PISO SALARIAL – R$ 1678,34
TICKET – R$ 45,00 + Cesta básica
R$ 180,00
ABONO – R$ 3.000,00 + R$ 350,00
(Gift Card).
EMPRÉSTIMO EMERGENCIAL
R$ 3.600,00, sem considerar a margem
PCCS – Conforme Pauta
NÉOS – Conforme Pauta
CONSELHO NEOENERGIA – Conforme Pauta ESTABILIDADE – Conforme Pauta PERICULOSIDADE – Conforme Pauta HOMOLOGAÇÃO – Conforme Pauta
MULTA FGTS – Conforme Pauta
PLR – Conforme Pauta
*Confira a integra da contraproposta no site do seu sindicato
Construção de ACT digno
Intersindical tem buscado a construção de um acordo que reflita o empenho e a dedicação dos trabalhadores do grupo. Os entraves criados pela Noenergia, apresentando propostas limitadas, apenas dificultam o processo negocial e mostram um desprezo injustificável pelos trabalhadores, que são os verdadeiros responsáveis pelos excelentes resultados alcançados pelas empresas e pelo grupo.
Nesta reunião deixamos claro alguns dos pontos que são prioridade para os trabalhadores. Esperamos respeito e atenção nestas questões. Sabemos que toda negociação é um processo de ganha-ganha, onde se evoluiu e se recua em busca de uma construção que beneficie ambos os lados.
Esperamos que na próxima rodada a Neoenergia dê atenção especial ao pleito dos trabalhadores e assegure evolução nos itens prioritário para a categoria.
PISO SALARIAL – A questão do piso é prioritário para os trabalhadores. Atualmente, as empresas do grupo Neoenergia pagam um dos menores piso salarial para eletricista do país. Essa política de remuneração mesquinha tem afastado bons profissionais, que preferem atuar em outras empresas. No Nordeste essa diferença é ainda mais perversa. Por isso, deixamos claro que avançar nessa questão é prioridade. A contraproposta apresentada pela Intersindical assemelha o piso com os trabalhadores da Elektro, empresa que também pertence ao grupo. O piso desses trabalhadores é de 1678,34. Apesar de distante ainda o desejável, queremos evoluir e assegurar equipação com o que é praticado no mercado.
NÉOS – A Intersindical após um ano de discussão com a Neoenergia acordou a incorporação das Fundações, preservando os planos existentes nas Fundações de origem e garantindo novas conquistas, asseguradas pelo grupo. Queremos os compromissos assumidos no Acordo Coletivo. As Fundações representam o maior patrimônio dos trabalhadores.
PCCS – A Neoenergia ao longo dos últimos seis anos vinha sinalizando fazer mais justiça e incentivar principalmente os novos trabalhadores com um plano de cargos e salários que viabilizasse uma mobilidade profissional dentro das empresas. Lamentavelmente, nas discussões recentes, o grupo revela que apenas se preocupa com os gerentes e gestores, desprezando os demais trabalhadores. São pelo menos mais de 7 mil trabalhadores sem nenhuma perspectiva de ascender profissionalmente dentro de uma das maiores organizações na distribuição de energia do Pais. Precisamos evoluir nessa questão.
ABONO/EMPRÉSTIMO/REAJUSTE/TICKET – Os resultados alcançados pelas empresas mostram que os trabalhadores podem ter evolução nestes itens. Queremos uma proposta que reconheça, verdadeiramente, a importância dos trabalhadores para o Grupo.

4 Comentários

Deixe uma resposta