Aneel autoriza reajuste de 8,33% para tarifas do RN
20 de abril de 2010 | Autor: Tribuna do Norte
Fonte: Tribuna do Norte

Os potiguares vão pagar mais caro pela energia elétrica a partir da próxima quinta-feira. A diretoria colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem, em reunião pública, os índices do reajuste tarifário anual da Cosern, empresa do grupo Neoenergia. Para a baixa tensão, a tarifa ficará em média 8,33% mais cara, enquanto a tarifa para a alta tensão sofrerá um reajuste médio de 7,18%. De acordo com a assessoria de comunicação da Cosern, o reajuste será repassado integralmente para os consumidores, pois a companhia aplica aquilo que é estabelecido pela Aneel.

Os novos valores entrarão em vigor no próximo dia 22, atingindo cerca de 1,8 milhão de unidades consumidoras de baixa tensão atendidas pela companhia além de mais de 2 mil empresas e grandes consumidores da faixa de alta tensão.

 Os reajustes ficaram bem acima da inflação acumulada no último ano. O IPCA, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação do período ficou em 4,3%. Já o IGP-M, índice calculado pela Fundação Getúlio Vargas, constatou um decréscimo de 1,7% na inflação.

A cobrança realizada pela Cosern varia de acordo com a categoria em que o consumidor se enquadra. Para aqueles que consomem energia de baixa tensão, que abrange imóveis residenciais e parte do comércio, a tarifa ficará em média 8,33% mais cara, mas se este consumidor for considerado de baixa renda o aumento será de 1,17%. Já o reajuste para alta tensão, que inclui a maioria das indústrias e empresas de grande porte, a tarifa ficará uma média de 7,18% mais alta.

Levando em conta que a tarifa residencial cobrada atualmente pela Cosern é de R$ 0,298 por quilowatt-hora (Kwh) – de acordo com dados disponibilizados no site da companhia energética -, para um cliente cujo consumo médio de um residencial seja de 182 Kwh mensais, a conta final para o consumidor aumentará em aproximadamente R$ R$ 4,31. Isso significa dizer que quem consome cerca de 182 Kwh/mês paga hoje uma média de R$ 54,38 e agora passará a gastar R$ 58,91.

No ranking das concessionárias, publicado no site da Aneel, com as tarifas atuais, a Cosern ocupa o 13º lugar entre as menores tarifas residenciais. Porém, levando em consideração o novo reajuste e nenhuma alteração nos valores das demais empresas, a concessionária que atende o RN cai para o 27º lugar.

Com relação aos critérios utilizados para calcular a tarifa cobrada ao consumidor, a Cosern afirma que a Aneel faz avaliações muito complexas, levando em consideração o custo da geração de energia, transmissão, distribuição, encargos e tributos.

Há um ano, houve um reajuste médio de 11,97%. O aumento foi de 7,36% para o residencial , e o incremento foi 6,01% para os clientes de baixa tensão e uma média de 9,63% para a alta tensão.