Lula destaca geração de emprego e crescimento da economia em último pronunciamento do 1º de Maio
30 de abril de 2010 | Autor: Agência Brasil
Fonte: Agência Brasil

Em seu último pronunciamento à nação em comemoração ao Dia do Trabalhador antes do fim do mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou os números positivos da geração de emprego e de renda e do crescimento da economia. Ele disse que, apesar de seu mandato estar chegando ao fim, acredita “fortemente” que o modelo implantado por seu governo irá prosperar.

“Algo me diz, fortemente, em meu coração, que este modelo vai prosperar. Sabe por que? Porque este modelo não me pertence. Pertence a vocês, pertence ao povo brasileiro, que saberá defendê-lo e aprofundá-lo, com trabalho honesto e decisões corretas”, disse Lula, hoje (29), em cadeia nacional de rádio e televisão.

Lula afirmou que o Brasil está vivendo uma era de firme retomada do crescimento econômico e tem condições de crescer a taxas robustas, na casa dos 5% ao ano e tornar-se uma das maiores economias do mundo. “Posso dizer, com orgulho, que o Brasil deixou para trás as décadas de estagnação. Nem a crise financeira internacional, a mais grave das últimas décadas, foi capaz de nos deter”, afirmou.

Para que o país continue com números positivos, conforme Lula, será preciso que se continue tomando “as decisões certas, nas horas certas”. Ele lembrou do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC) e falou dos recursos que serão gerados a partir da exploração de petróleo da camada pré-sal, afirmando que “seus recursos não devem ser gastos em bobagens ou no custeio de despesas correntes”.

No pronunciamento em celebração ao Dia 1º de Maio, o presidente citou números referentes à geração de emprego e renda, afirmando que a taxa de desocupação caiu de 12,3% em 2003 para atuais os 7,2%. Lula disse, ainda, que o Brasil tem criado empregos melhores e com melhores salários. Ele citou dados de fevereiro passado, quando 50,7% dos trabalhadores tinham carteira assinada. Em 2003, a proporção era de 43,5%. Em relação ao salário mínimo, o presidente afirmou que, ao longo de seu governo, houve um aumento real de 74%.

Segundo ele, o Brasil não tem limites para crescer. Nos últimos anos, observou, o povo brasileiro aprendeu a confiar em si e a não dar ouvidos “aos derrotistas e à turma do contra, aos que diziam que o Brasil tinha de se contentar com um crescimento medíocre.”

O pronunciamento de Lula teve tom de despedida ao começar com a lembrança de que essa é o última vez que ele se dirige à nação como presidente em uma celebração de 1º de Maio. “Esta é a última vez que falo com vocês, como presidente, para comemorar o nosso dia, o Dia do Trabalhador. E falo como sempre falei nos últimos sete anos, olhando nos olhos de cada um de vocês e trazendo, mais uma vez, boas notícias”.