Centrais sindicais avaliam que alta da Selic beneficia especuladores
29 de abril de 2010 | Autor: O Estado de São Paulo
Fonte: O Estado de São Paulo

As centrais sindicais criticaram nesta quarta-feira a decisão do Copom (Conselho de Política Monetária) de aumentar a taxa básica de juros (Selic) para 9,5% ao ano. A alta de 0,75 ponto foi definida em reunião na noite de hoje.

A Força Sindical disse em nota que a alta da Selic é "equivocada e perversa para com o setor produtivo, que gera emprego e renda".

"É lamentável que estejamos virando um paraíso para os especuladores do mundo inteiro, diante da elevada lucratividade paga pela exorbitante taxa de juros do Brasil. O Copom frustra os trabalhadores, que ansiavam por uma queda na taxa básica", afirmou na nota o presidente da central, Paulo Pereira da Silva.

Ele acrescentou que a alta "as autoridades monetárias brasileiras se transformaram em meros aduladores dos especuladores, punindo a produção e estrangulando a abertura de novos postos de trabalho."

O presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Artur Henrique, também avaliou que não havia razão para a elevação da taxa, "a não ser a de aumentar os ganhos dos especuladores em geral, detentores de aplicações em títulos da dívida pública".

"O preço será pago pelos trabalhadores em geral, seja pela diminuição dos investimentos de parte do setor produtivo, atraído pela especulação, seja pela elevação do custo dos empréstimos ou do endividamento já existente. A taxa do crédito pessoal, hoje superior a 83% ao ano, e a do cheque especial, de 175% ao ano, tendem a subir junto com a Selic", disse em nota.