Lucro do Banco do Brasil subiu 41,2% no 1º trimestre, para R$ 2,351 bilhões
13 de maio de 2010 | Autor: O Globo, com agênciasValor Online
Fonte: O Globo, com agênciasValor Online

Puxado pela expansão do crédito, o lucro do Banco do Brasil avançou 41,2% no primeiro trimestre do ano, frente a igual período do ano passado, para R$ 2,351 bilhões.

O resultado do BB ficou abaixo do Itaú Unibanco no período, de R$ 3,2 bilhões, o maior ganho da história de um banco brasileiro em um primeiro trimestre. Mas ficou pouco acima do lucro do Bradesco, de R$ 2,103 bilhões.

Na comparação com o quarto trimestre de 2009, no entanto, houve um recuo de 43,4% no lucro do Banco do Brasil. O ganho entre outubro e dezembro do ano passado, no entanto, tinha sido influenciado por eventos extraordinários.

Banco do Brasil pagará R$ 962,3 milhões em juros e dividendos

Lucro da Caixa aumenta 72% para R$ 777,5 milhões no primeiro trimestre

Lembre: Lucro do Banco do Brasil subiu 15,2% em 2009 e atingiu R$ 10,148 bilhões, recorde da história

Crédito para pessoa física subiu mais de 50%

A expansão de 30,2% nas operações de crédito em 12 meses, para R$ 267,317 bilhões, foi uma das principais razões para o crescimento do lucro no primeiro trimestre. Considerado o critério do Conselho Monetário Nacional (CMN), os financiamentos somaram R$ 305,551 bilhões, montante 26,3% maior que em março de 2009.

O crescimento dos empréstimos foi ainda maior na carteira de pessoas físicas, que saltou 55,5% em 12 meses, para R$ 95,092 bilhões. O desempenho permitiu que sua participação na carteira total de crédito do banco subisse de 25,3% no primeiro trimestre de 2009 para 31,1% agora.

No segmento pessoas jurídicas, a carteira de crédito aumentou 25,8% em 12 meses, para R$ 128,080 bilhões.

"Parte do crescimento no crédito observado nos últimos 12 meses é explicada pelas aquisições e pela parceria estratégica firmada com o Banco Votorantim", explicou o BB no relatório liberado nesta quinta-feira.

Receita de prestação de serviços de R$ 3,634 bilhões

Já as receitas de prestação de serviços totalizaram R$ 3,634 bilhões nos três meses até março de 2010, com pouca alteração em relação aos R$ 3,606 bilhões verificados no trimestre encerrado em dezembro do ano passado e alta de 23,5% perante os R$ 2,943 bilhões dos três primeiros meses de 2009.

Sem efeitos extraordinários, o Banco do Brasil registrou lucro de R$ 1,967 bilhão entre janeiro e março deste calendário, 8,1% acima do R$ 1,819 bilhão dos três últimos meses de 2009 e também superior ao R$ 1,522 bilhão do primeiro trimestre do ano passado.

O resultado bruto da intermediação financeira situou-se em R$ 5,625 bilhões, contra os R$ 6,129 bilhões do quarto trimestre de 2009 e os R$ 3,359 bilhões do trimestre inicial daquele mesmo calendário.

A provisão para risco de crédito ficou em R$ 2,959 bilhões, bem próxima daquela verificada nos três meses finais do ano passado, de R$ 2,950 bilhões. No primeiro trimestre de 2009, se encontrava em R$ 2,654 bilhões.

No fim de março, os ativos totais do BB correspondiam a R$ 724,881 bilhões. Um ano antes, somavam R$ 591,925 bilhões.