Número de demissões na Energisa vai de encontro ao crescimento de empregos formais na PB
31 de julho de 2010 | Autor: Sindeletric/PB
Fonte: Sindeletric/PB

O crescimento dos postos de trabalho formal no primeiro semestre de 2010 foi o maior de toda a história, segundo dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Para o vice-presidente do Sindeletric/PB, Dráuzio Macedo, esse crescimento é fruto da política econômica implanta no governo democrático e popular desde 2002. “Esse avanço dos empregos formais é devido a política implantada pelo presidente Lula nos seus dois mandatos”, afirmou.

Segundo Dráuzio, apesar desse crescimento virtuoso, muitas empresas ainda apresentam um alto índice de rotatividade, na Energisa é de aproximadamente 20%, de trabalhadores e de demissões. Para ele, essa rotatividade é uma forma da empresa contratar novos trabalhadores sendo que com salários bem inferiores.

Em apenas 40 dias mais de 50 trabalhadores foram demitidos da empresa.  As demissões em massa começaram a acontecer com a nova estrutura organizacional e com a chegada de novos diretores. A empresa afirma que as demissões fazem parte de uma nova política organizacional que está sendo implantada, mas na verdade o que se tem observado é uma verdadeira exploração do trabalhador, o aumento da competitividade entre os trabalhadores e a precarização do trabalho, só para exemplificar melhor a Energisa paga um dos piores salários e participação dos lucros do setor elétrico brasileiro, acrescentou Dráuzio.