Em greve: bancários estão indignados com oferta salarial
29 de setembro de 2010 | Autor: Radio Agência NP
Fonte: Radio Agência NP

Enquanto categorias como metalúrgicos e petroleiros conquistaram abono e reajuste salarial acima da inflação oficial, bancários de todo país estão indignados com o reajuste de 4,29% oferecidos pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) para encerrar a campanha salarial da categoria. Até o momento, os trabalhadores só garantiram o reajuste da inflação.

O presidente da Contraf (Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Carlos Cordeiro, conta que o comando nacional dos bancários ficou mais de 30 dias em negociação com os bancos, que não apresentaram uma proposta melhor. Com isso, bancários dos 26 estados e do Distrito Federal aprovaram greve por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira (29).

“Nas assembleias de ontem, nós tivemos a participação muito boa dos trabalhadores. Os locais que os sindicatos escolheram ficaram pequenos para tantos bancários, porque eles estão indignados com mais esta provocação dos bancos. A cada três anos, os patrimônios desses bancos dobram, mas eles não querem apresentar nenhuma proposta ou negociar. Não temos nenhuma outra alternativa a não ser decretar essa greve.”

Cordeiro destaca que o Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal tiveram lucro líquido de R$ 21,3 bilhões no primeiro semestre do ano. 32% a mais em comparação ao mesmo período do ano passado.

“Isso demonstra a irresponsabilidade dos bancos com os trabalhadores, que ajudam a produzir esse lucro. Demonstra também irresponsabilidade com a sociedade que paga tarifas absurdas, porque se mostra um setor extremamente ganancioso. A população está com a gente, nós pedimos compreensão e ajuda.”

Na sexta-feira (01) bancários novamente se reúnem em assembleia para avaliar os rumos da greve.