11% buscam emprego melhor
27 de setembro de 2010 | Autor: Diário do Nordeste
Fonte: Diário do Nordeste

Número recorde mostra mudança estrutural no mercado de trabalho brasileiro, que se mostra aquecido

São Paulo. Dez milhões de brasileiros que tinham emprego em 2009 estavam em busca de um trabalho melhor. Esse número é recorde em termos absolutos e equivalia a 10,8% do total da população ocupada no ano passado, o maior percentual também já registrado.

Desde 2007, esse batalhão de ocupados dedicados a encontrar outro trabalho tem ultrapassado o total dos próprios desempregados à procura de uma vaga. Em 2001, início da série histórica, eram 7,86 milhões de desempregados e 6,45 milhões de ocupados buscando um trabalho. No ano passado, a relação era de 8,42 milhões de desocupados para 10 milhões de empregados no Brasil. Essa mudança estrutural no mercado de trabalho se reflete em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE.

Segundo analistas, a tendência é explicada principalmente pelo forte aquecimento do mercado de trabalho em todo o território nacional nos últimos anos.

"Com o mercado de trabalho mais aquecido, as pessoas estão mais motivadas a procurar emprego, mesmo já tendo um", diz Sérgio Mendonça, economista do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Naercio Menezes, coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper, diz que a busca por emprego, mesmo entre a população ocupada, está crescendo na esteira do aumento da taxa de contratações na economia. Possibilidade de deixar a informalidade e de ganhar um salário mais alto são outros fatores citados por analistas para explicar o boom de trabalhadores ocupados em busca de vaga.

Novas oportunidades

O estoque de vagas formais na economia alcançou 41,2 milhões em 2009 - eram 26,2 milhões em 2000. Segundo dados da Pnad, o rendimento médio real (descontada a inflação) da população ocupada cresce há cinco anos no Brasil.

"As pessoas comparam seus salários com oportunidades que estão surgindo e oferecem rendimento mais alto", afirma Menezes. Mesmo em 2009, ano em que a crise financeira sacudiu o mundo e fez a economia brasileira ter uma leve contração, o número de trabalhadores ocupados em busca de outro emprego deu um salto de 21,4% em relação a 2008. Esse foi o maior aumento percentual anual registrado desde 2001. Para Cimar Azeredo, do IBGE, a maior busca por emprego no ano passado pode ter sido motivada justamente pela crise.

"Trabalhadores que se sentiam inseguros em relação à estabilidade de seus empregos podiam estar à procura de uma posição mais segura", afirmou Azeredo. Mendonça e Menezes têm, no entanto, outra opinião. Os dados da Pnad são levantados em setembro de cada ano. Para os dois economistas, em setembro de 2009, o pior da crise já havia ficado para trás. Portanto, os trabalhadores ocupados em busca de outro emprego estariam mais movidos por um cenário otimista.