Maioria dos assalariados ganha aumento acima da inflação
14 de julho de 2011 | Autor: R7
Fonte: R7

A maior parte dos trabalhadores assalariados brasileiros recebeu reajustes salariais acima da inflação em 2010, segundo pesquisa divulgada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) nesta terça-feira (14). Dos 660 pisos salariais analisados pela entidade, 94% - ou 619 – tiveram aumentos acima do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), mostra o levantamento.

Apesar dos reajustes superiores ao índice de aumento de preços, os valores dos pisos salariais no Brasil ainda são baixos. Do total, 207 categorias têm como piso o montante de R$ 550 – o que significa 31,7% dos 660 valores mínimos analisados pelo Dieese. Por outro lado, apenas 39 profissões possuem pisos superiores a R$ 1.000.

De acordo com o estudo, o menor piso salarial registrado em 2010 foi de R$ 510 – equivalente ao salário mínimo vigente à época. Esse valor foi encontrado em todos os setores da economia: serviços, indústria, comércio e rural. A média dos pisos salariais, no entanto, ficou um pouco acima disso: R$ 669,16.

Por outro lado, o maior piso salarial em 2010 chegou a R$ 2.600 e foi encontrado no setor de serviços. A categoria que recebe essa quantia básica é a de “serviços de saúde”. Na segunda colocação da lista estão os profissionais de segurança e vigilância, com piso médio de R$ 1.259,61. Os trabalhadores da área de comunicação aparecem na terceira posição do ranking, com piso médio de R$ 2.196,38.


O valor médio do piso nacional, considerando os acordos e convenções coletivas de todas as categorias em todas as regiões brasileiras, é de R$ 1.059,30. Entre as regiões, o Sudeste tem o maior piso salarial médio do país, com o valor de R$ 701,78. Na sequência vêm a região Sul (R$ 673,22), a Centro-Oeste (R$ 648,42), a Nordeste (R$ 603,85) e a Norte (R$ 601,43).

Piso salarial x escolaridade

Quem fez faculdade tem piso salarial maior, segundo o estudo do Dieese. Entre os que têm nível superior, o piso salarial médio é de R$ 1.356,08. Já entre os que não tem faculdade o piso médio cai para R$ 646,58.

Salário mínimo ideal

O estudo do Dieese mostra que o salário mínimo ideal para o brasileiro suprir suas necessidades com educação, saúde, lazer e segurança deveria ser 4,14 vezes maior que o da época. O valor oficial era de R$ 510, mas, segundo a entidade, esse montante deveria subir para R$ 2.110,26.