CUT ocupa Brasília quarta, dia 10
08 de agosto de 2011 | Autor: CUT
Fonte: CUT

Na próxima quarta (10), a CUT realiza em Brasília ocupação pacífica dos três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – para exigir a imediata aprovação das pautas de interesse da classe trabalhadora. A manifestação vem se somar a uma série de outras iniciativas adotadas pelas Centrais Sindicais, visando fortalecer a Agenda da Classe Trabalhadora aprovada na Conclat 2010.

Os atos comandados pelas Centrais também dão musculatura às grandes negociações coletivas de grandes categorias profissionais, que têm data-base agora no segundo semestre.

As ações começam no período da manhã, com a entrega de uma carta à presidente Dilma Rousseff e ao secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, reafirmando as reivindicações da CUT e cobrando agilidade nos encaminhamentos. Outro grupo terá audiência com o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Oreste Dalazen, sobre a necessidade de garantir na legislação a negociação coletiva.

Congresso - Os militantes e dirigentes da Central vão percorrer os gabinetes e as comissões do Congresso Nacional, para pressionar os deputados e senadores a colocar em votação os projetos fundamentais para a classe trabalhadora.

Tenda - Num dos gramados da Esplanada, será montada uma grande tenda, que servirá de ponto de encontro dos cutistas e dos movimentos sociais. Nesse espaço, a Central pretende receber o presidente da Câmara, Marco Maia, para entregar a pauta de reivindicações e cobrar agilidade na votação e aprovação dos projetos.

Alguns itens da pauta defendida pela CUT

1) Regulamentação da terceirização;

2) Redução da jornada para 40 horas semanais, sem redução de salário;

3) Fim da alta rotatividade: ratificação da Convenção 158 da OIT;

4) Trabalho decente para todos, com direitos, saúde e segurança;

5) 10% do PIB para investimento em educação pública;

6) Negociação coletiva no setor público: regulamentação da Convenção 151 da OIT;

7) Fim do Fator Previdenciário e criação do fator 85/95;

8) Reforma política: fim das doações de empresas e bancos para candidatos a cargos públicos;

9) Reforma tributária: menos impostos para quem vive de salário ou aposentadoria;

10) Fim da violência na área rural e nas florestas;

11) Comida mais barata para o povo, com reforma agrária e valorização da agricultura familiar.

Mais informações:
www.cut.org.br