Sindicalistas dizem que Comissão da Verdade deve elucidar fatos
17 de maio de 2012 | Autor: Site das Centrais
Fonte: Site das Centrais



A Comissão da Verdade, que tem como objetivo esclarecer violações dos direitos humanos no período da ditadura, como casos de tortura e ocultação de cadáveres, foi instalada ontem (16) pela presidente Dilma Rousseff. Em solenidade no Palácio do Planalto, ela afirmou que a Comissão não será motivada pelo ódio.

A presidente disse que o País merece conhecer a verdade e, sobretudo, “merecem a verdade factual aqueles que perderam amigos e parentes e que continuam sofrendo como se eles morressem de novo e sempre a cada dia”. Dirigentes das Centrais Sindicais ouvidos pela Agência Sindical defenderam a instalação da Comissão.

Segundo o presidente em exercício da Força Sindical, Miguel Torres, o movimento sindical apoia o esclarecimento do que ocorreu nesse período nebuloso. “A Comissão da Verdade poderá fazer isso, trazendo os fatos à luz da história, além de revelar o que realmente aconteceu. Não se trata, agora, de uma questão de punição”, disse.

“A nação tem o direito de saber como esses crimes foram praticados e que isso sirva de ensinamento para que nunca mais aconteça. Não se trata de revanchismo, não encaramos a Comissão sob este prisma”, avaliou o presidente da CTB, Wagner Gomes.

O secretário de Políticas Sociais da CUT, Espedito Solaney, destacou que a Central apoia a constituição da Comissão e pretende “contribuir, no que for possível, para o bom desenvolvimento dos trabalhos de apuração”. A entidade, por meio de nota, criticou o caráter “exclusivamente jurídico” da maioria dos membros indicados.

Para o presidente da UGT, Ricardo Patah, os brasileiros precisam se reconciliar com sua história. “É fundamental que o Brasil não tenha nenhuma mácula em relação à sua história e seu passado”.

Ubiraci Dantas, presidente da CGTB, frisou que a elucidação da verdade deve ser um compromisso com os parentes dos desaparecidos. “Espero que a Comissão possa trabalhar com tranquilidade, para elucidar profundamente esse período cruel da nossa história”, ressaltou.

Integrantes - A Comissão é composta por sete pessoas, José Carlos Dias (ex-ministro da Justiça), Gilson Dipp (ministro do Superior Tribunal de Justiça), Rosa Maria Cardoso da Cunha (advogada), Cláudio Fonteles (ex-procurador-geral da República), Paulo Sérgio Pinheiro (diplomata), Maria Rita Kehl (psicanalista) e José Cavalcante Filho (jurista). A solenidade contou com a presença de quatro ex-presidentes da República, Luís Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique, Fernando Collor e José Sarney.

Mais informações:
Site das Centrais