Forte mobilização mostra a indignação da categoria contra o ataque aos seus direitos
16 de abril de 2013 | Autor: FNU
Fonte: FNU

Os trabalhadores do Sistema Eletrobras realizaram neste dia 15 em todas as empresas uma forte mobilização, mostrando a sua indignação com a arrogância da direção da Holding que ataca direitos históricos da categoria, “rasgando” o ACT 2012 no que tange a Periculosidade e a indefinição sobre o pagamento da PLR. Em nada adianta ameaçar ou intimidar os trabalhadores, pois todos estão firmes no propósito de mostrar a Eletrobras que não vão fugir da luta, muito pelo contrário, a cada dia que passa a mobilização se fortalecerá ainda mais.

No dia 16 de abril, terça-feira, a Federação Nacional dos Urbanitários, sendo representada pelo presidente Franklin Moreira, o Movimento dos Atingidos por Barragens e o Coletivo Nacional dos Eletricitários, sendo representado por Fernando Pereira e por Nailor Gato, estarão reunidos com o Ministro-Chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. A pauta será extensa, pois não faltam problemas e o descontentamento com os rumos do governo é grande. Certamente o CNE irá discutir com o Ministro a péssima relação que se dá entre o Governo e os Sindicatos, mais especificamente os de setor de energia, as demandas e as propostas da categoria, inclusive na época da MP 579, que nunca foi levada em consideração. Além disso, vamos cobrar uma posição do Governo no que diz respeito à Periculosidade que está sendo atacada pela Holding e denunciar o desmonte do setor elétrico .

A FNU encaminhou ofício ao Secretário Executivo do Ministério de Minas e Energia ,Márcio Zimmerrmannn, solicitando audiência para discutir o pagamento da periculosidade. Pois, diante da intransigência da direção do Sistema Eletrobras, que prefere se basear em um “parecer jurídico”, é fundamental fazer gestão junto ao governo mostrando que esse direito deve ser respeitado e não atacado. Como o CNE divulgou no boletim anterior foi enviado ofício para Eletrobras para tratar da periculosidade, porém até o momento, não houve uma resposta, essa lentidão não foi vista na hora de agir para cortar a periculosidade, rapidamente sacaram da cartola do professor “um coelho”, que dizer, um “parecer jurídico”, um documentoi natacável segundo a Holding, uma pintura ou melhor dizendo uma “obra de arte jurídica” que começou desbotar, com as ações judiciais dos sindicatos que começam a surtir efeito. Hoje, dia 15, o Sindicato dos Urbanitários do Maranhão conseguiu liminar que garante o pagamento da periculosidade sobre a remuneração dos trabalhadores da Eletronorte. A empresa ainda será notificada sobre a decisão nos próximos dias. O eventual descumprimento da decisão implicará em multa de R$ 1.000,00 por trabalhador afetado.

O CNE continuará na luta juntamente com os sindicatos, seja no campo jurídico, ou nas mobilizações que serão muitas até que os trabalhadores consigam defender seus direitos já conquistados anteriormente e o da pauta de 2013, que já foi entregue. A mobilização desta segunda-feira é o inicio de uma grande jornada de lutas.