Trabalhadores da CEB enfrentam a polícia e mantém greve por um ACT justo
06 de novembro de 2013 | Autor: FNU
Fonte: FNU

A Federação Nacional dos Urbanitários tem acompanhando com atenção a luta dos trabalhadores da CEB por um ACT justo. A pauta da categoria foi entregue para a direção da empresa no dia 16 de setembro, e a primeira reunião de negociação aconteceu somente dia 01 de outubro. Essa demora demonstra a má vontade dos dirigentes da CEB em debater com o Sindicato de forma franca.
A falta de diálogo é desrespeitosa e vergonhosa, principalmente partindo de um Governo do Partido dos Trabalhadores, que foi eleito com apoio de grande parte da categoria e que conta com cinco ex-dirigentes do STIU-DF na direção da CEB, e que conhecem muito bem a realidade da categoria.
A resposta quem tem sido dada aos trabalhadores é a truculência da Polícia. Segundo Jeová Pereira, Diretor do Sindicato e Dirigente da FNU, 50 PMs foram deslocados para porta da empresa. “Mandaram 4 micro-ônibus repleto de policiais para reprimir a nossa mobilização, abrir o portão a força e colocar os trabalhadores para dentro da CEB. Uma violência gratuita e que mostra o caráter antidemocrático deste governo e da direção da empresa”, disse ele.
Segundo a direção do Sindicato a mobilização dos trabalhadores tem sido muito forte, com adesão maciça da categoria. A Direção da CEB se nega a negociar e oferece apenas o INPC e a manutenção do acordo vigente, ou seja, uma proposta totalmente rebaixada, que não condiz com a importância do trabalhador da CEB.
Para a direção do STIU-DF não há dúvidas de que o Governo e a CEB trabalham para derrotar o movimento dos trabalhadores, mas a categoria está pronta para resistir, mantendo os serviços essenciais para a população, mas sem deixar de buscar um acordo justo.
A FNU está ao lado dos trabalhadores e do Sindicato, por entender que se hoje a CEB é uma empresa estratégica, foi graças ao empenho de cada trabalhador, portanto, é preciso que haja esse reconhecimento através de um acordo digno.