Pacto pela Saúde e Segurança
22 de novembro de 2013 | Autor: Sindieletro- MG
Fonte: Sindieletro- MG

Ainda está muito vivo na memória de nós, eletricitários, o último acidente fatal com o “Carlão”, trabalhador da linha viva, em Belo Horizonte. Este companheiro deixou saudades e fará muita falta, principalmente para os amigos, os pais, a esposa e para a filha pequena. Mas será que para a direção da Cemig a morte de um trabalhador é sentida da mesma forma que é para nós?

 

Pelos rumos que a gestão da empresa está tomando, qualquer dia a ausência provocada pela falta de segurança também pode alcançar um de nós. A nossa família. Cada eletricitário da Cemig ou de empreiteira é colocado em risco, por exemplo, quando se desloca de carro da empresa, às pressas, para cumprir o mais rápido possível as obrigações do trabalho, no intuito de fazer sempre o melhor.

 

O eletricitário corre porque se coloca como profissional acima de tudo ou, muitas vezes, por existir uma cobrança de produtividade gerada pelos atropelos nas ações de última hora da gestão da empresa. Também acelera para além do limite seguro para compensar a falta de investimentos prudentes da Cemig no sistema elétrico. Vivendo num ambiente sem perspectiva de crescimento profissional, alguns correm exageradamente, mesmo que não percebam, para fazer média com a gerência ou supervisor para, quem sabe, ganhar uma letrinha no PCR.

 

O acidente pode não acontecer com um de nós, mas com alguém muito próximo, e certamente seremos todos atingidos. Não é o que desejamos, mas, pelo cenário colocado, infelizmente é o que vai acontecer. É previsível.

 

A denúncia do acidente com o companheiro Carlão foi encaminhada pelo Sindieletro às autoridades competentes, cobrando o fim deste modelo de gestãoadotado pela Cemig, que coloca o lucro acima da vida.

 

Entendemos que o “Pacto pela Saúde e Segurança”, proposto como parte da Pauta de Reivindicações para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho, é muito importante e deve ser debatido entre o Sindieletro e a direção da Cemig. É urgente a busca conjunta de ações concretas para acabar com o “extermínio” da nossa categoria. A recusa em debater o Pacto nos deixa mais alarmados por sinalizar que querem exterminar a “CLASSE TRABALHADORA DE ELETRICITÁRIOS”.

 

É necessário que cada trabalhador da Cemig participe efetivamente das mobilizações marcadas para começar na próxima segunda-feira, dia 25/11. Só mobilizados vamos conseguir forçar a gestão da empresa a iniciar as negociações do nosso ACT, pois até agora não existiu nenhum debate sobre a pauta e o Pacto proposto em defesa da saúde e segurança. Ou você acredita que existiu?

 

Sozinhos, nós, diretos do Sindieletro, não vamos a lugar nenhum. Contamos com a força e a participação da classe trabalhadora de eletricitários para avançarmos.

 

Direção do Sindieletro- MG