Cemig terá que explicar demissões na Justiça
04 de abril de 2014 | Autor: FNU
Fonte: FNU

A primeira audiência sobre as demissões ocorridas durante a campanha para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2013/2014) foi realizada na manhã desta terça-feira (08), na 44ª Vara da Justiça do Trabalho.

Mais uma vez a Cemig quis utilizar estratégias para tumultuar e atrasar o processo que pede a suspensão das demissões e a reintegração dos eletricitários.

 

 Primeiramente a empresa solicitou o adiamento da audiência e que a Forluz fosse incluída como ré no processo. Depois tentou desmembrar a ação por trabalhador, mas a juíza reprovou os pedidos da Cemig.

 

Demissões arbitrárias para quem completa 55 anos

 

Os gerentes, que antes homenagearam vários trabalhadores pelo tempo que se dedicaram à empresa, simplesmente começaram a demitir os eletricitários com tempo para se aposentar ou que já estão aposentados pelo INSS.

Para o Sindieletro, é revoltante constatar que o ser humano não tem valor para a Cemig. Na empresa, trabalhador é tratado que nem bagaço de laranja: chupa e joga fora. “Não vamos aceitar de forma alguma qualquer demissão na Cemig, muito menos por discriminação pela idade. A empresa está jogando fora a sua capacidade técnica”, afirma o coordenador geral do Sindieletro, Jairo Nogueira Filho.