Manifesto em favor da Chesf e da sua história. Parabéns Chesf pelos seus 62 anos de existência!
15 de março de 2010 | Autor: Intersindical Nordeste
Fonte: Intersindical Nordeste

Em todo o setor elétrico nacional se fala da nova Eletrobrás, porém poucas são as pessoas que participaram de algum debate sobre a importância deste projeto. Nem os Sindicatos, nem os trabalhadores e muito menos o povo brasileiro têm informações conclusivas sobre o processo de consolidação do novo sistema, que vem acontecendo dentro de uma grande manobra dos dirigentes da Eletrobrás.

 

A re-estruturação do setor elétrico federal é importante para todo o povo brasileiro, desde que venha acompanhada do aprofundamento do caráter de empresa pública. É importante também para empreender e investir em outros países, inclusive no projeto de Estado de integração energética para aproximar as nações latinoamericanas com o Brasil, de forma solidária.

 

Este projeto de nova Eletrobrás deve ser precedido de um amplo debate com a população em geral. E em particular com os trabalhadores e com as empresas (Chesf, Eletrosul, Eletronorte e Furnas), juntamente com a população regional que são os atores conhecedores da realidade regional.

 

A Chesf tem identidade econômica e cultural na região Nordeste, e a Intersindical entende que os trabalhadores da Companhia perderão sua identidade e o povo nordestino perderá uma vinculação histórica da Chesf na memória, caso a empresa perca sua marca de origem.

 

Não podemos deixar que nossa marca se dilua numa empresa nacional que desconheça nossas particularidades regionais e culturais. É importante fortalecer o Sistema Eletrobrás, mas isso precisa ser feito em concordância com as regiões as quais as companhias são vinculadas. A criação da nova Eletrobrás não deve ser sinônimo de eliminação das empresas Chesf, Eletrosul, Eletronorte e Furnas e fechar os olhos para a realidade regional.

 

Hoje, dia em que a Chesf completa 62 anos, viemos manifestar nosso repúdio à mudança vergonhosa que esta sendo imposta pela Eletrobrás em desacordo com as realidades e com as necessidades locais. O novo sistema não pode impor o desaparecimento da nossa marca, da Companhia que faz parte das nossas vidas há mais de 60 anos!

 

A Chesf é um símbolo para o Nordeste, é pioneira no estudo e desenvolvimento de fontes alternativas, domina a tecnologia de construção de usinas em rocha (como as hidrelétricas do complexo de Paulo Afonso) e acumula um profundo conhecimento técnico sobre as particularidades da região Nordeste e sobre a gestão das águas do Rio São Francisco. Tudo isto vai se perder se a empresa se transformar num mero escritório.

 

Sendo assim, propomos a DESOBEDIÊNCIA CIVIL não devolvendo os crachás enquanto não houver um debate transparente e democrático com todos os trabalhadores do setor elétrico e com a população da região. É preciso construir uma Nova Eletrobrás que leve em conta a importância das realidades regionais e resguarde o papel dessas empresas como agências de desenvolvimento regional.



Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco (Sindurb-PE),

Sindicato dos Eletricitarios da Bahia (Sinergia-BA),

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria dos Urbanitários do Piauí (Sintepi),

Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro-CE),

Sindicato dos Eletricitários de Sergipe (Sinergia-SE),

Sindicato dos Urbanitários de Alagoas (Stiu-AL),

Sindicato dos Engenheiros de Pernambuco (Senge-PE)

 

Com informações da Intersindical Nordeste