Indústria contrata, mas 180 mil vagas continuam fechadas
12 de março de 2010 | Autor: Folha de São Paulo
Fonte: Folha de São Paulo

O emprego na indústria paulista começou o ano em recuperação, mas ainda falta um longo caminho para atingir o nível de ocupação registrado antes do início da crise financeira, em setembro de 2008. De acordo com dados divulgados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o setor apresenta um déficit de 180 mil vagas entre o último trimestre de 2008 e fevereiro deste ano.

"Ainda temos um longo caminho para recuperar o emprego", afirmou ontem Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da Fiesp. A previsão da instituição é que o número de vagas na indústria paulista feche o ano em alta de 6,2%, o que representaria a criação de cerca de 140 mil postos.

A projeção, portanto, prevê que o setor só recuperaria os níveis pré-crise no início de 2011. "Dentro dessa previsão, já teremos recuperado bastante no fim ano, mas ainda restaria um pequeno ajuste", disse Francini.

Em fevereiro, a indústria de São Paulo registrou a criação de 23 mil vagas (0,81%), apresentando o melhor resultado para o mês desde o início da série histórica, em 2006. A tendência, de acordo com os pesquisadores da Fiesp, é de continuidade da alta nos próximos meses.

Francini afirmou que a elevação do nível de emprego da indústria no mês passado foi puxada por uma antecipação do início das operações nas usinas de cana-de-açúcar, para produzir álcool e açúcar, o que traz uma antecipação das contratações.

"Isso não é habitual, em fevereiro do ano passado, por exemplo, esse aumento não ocorreu", disse o diretor da Fiesp. De acordo com o Francini, o avanço tecnológico do setor permite que as usinas fiquem o menor tempo possível paradas.

Só os setores de açúcar e álcool foram responsáveis pela geração de 7.089 vagas no mês passado. E essa contribuição positiva, de acordo com a avaliação de Francini, deve se manter nos meses de março e abril.