Sindicato quer PLR justa no final deste mês
25 de março de 2010 | Autor: SINERGIA/BA
Fonte: SINERGIA/BA

Diferente do que a Coelba tenta insinuar, o Sinergia defende o pagamento da PLR até o fim desde mês. Contudo, a empresa busca se livrar das cobranças feitas pelo sindicato no sentido de proporcionar uma distribuição mais igualitária com informações imprecisas que confundem os trabalhadores. Com esta tática, a Coelba afirmou, através do seu informativo "Click", que a variação na mudança de critério (60% fixo e 40% variável), solicitado pelo sindicato, seria de apenas R$ 230,00, o que não é verdade.

 

Na prática, com a mudança dos critérios defendidos pelo Sinergia, a maioria dos coelbanos teria um incremento aproximado de R$ 720,00, contra os R$ 230, valor informado pela empresa (ver box verso). É preciso salientar que 70% dos trabalhadores possuem remuneração inferior a R$ 2.500,00 e, portanto, a preocupação do sindicato se justifica na defesa dos interesses destes trabalhadores, sobretudo por não existir critério capaz de aferir quem produziu mais: menores ou maiores salários. Sendo mais justo então avançar nos critérios que distribuem de forma mais igualitária a PLR.   

 

Além de tentar confundir os coelbanos, a intenção da Coelba é de gerar um clima de ansiedade pelo pagamento, tentando, assim, desmobilizar a categoria. "É preciso salientar que iniciamos o debate sobre a PLR em janeiro onde garantimos a antecipação de R$ 1.200,00, pago em 23 de fevereiro. Entretanto, a empresa não avançou nas discussões sobre a mudança nos critérios, nos obrigando a realizar articulações junto à direção do Grupo Neoenergia", lembra a direção do sindicato.

 

 

Sindicato vai pressionar Neoenergia

 

Conforme ação de luta definida em reunião com os delegados de base, o Sinergia tentou manter contato com a direção do grupo Neoenergia objetivando um encontro para discutir o impasse sobre a mudança dos critérios defendidos pelo sindicato. A confirmação do encontro somente ocorreu na tarde de ontem, 24. Segundo representantes do grupo, a diretora de gestão de pessoas garantiu que poderia atender o sindicato no início da próxima semana.

 

O encontro com a direção do grupo Neoenergia deve ser reforçado com a presença dos dirigentes do Sindurb que também vão defender a mudança nos critérios de distribuição da PLR, já que os celpeanos estão na mesma luta dos coelbanos.  

 

O Sinergia entende que o debate sobre a PLR é de interesse do conjunto dos trabalhadores e, desta forma, conclama todos os coelbanos para participar da assembleia que é fórum legítimo para decidir os rumos da categoria. E vamos à luta! 

 

Veja a diferença no cálculo da parte fixa feita pela Coelba e pelo Sinergia:

 

Informe Click

Informe Alarme

Com 50% na parte fixa (critério atual)

Com 60% na parte fixa (critério defendido pelo sindicato)

EBITDA R$ 17.750.000,00 (aproximado)

 

EBITDA R$ 17.750.000,00 (aproximado)

 

50% = R$ 8.875.000,00/2.465 números de empregados

 

60% = R$ 10.650,000,00/2.465 números de empregados

 

Total para cada empregado R$ 3.600,00

 

Total para cada empregado R$ 4.320,00

 

Diferença informa para 60% = R$ 230,00

Diferença encontrada de R$ 720,00

 

Levando-se em conta que 70% dos 2.465 coelbanos ganham abaixo de R$ 2.500,00, a mudança beneficiará, aproximadamente, 1.700 funcionários. 

Os cálculos foram realizados tendo como base os números informados no próprio Click de 22/03/2010