PRESSÃO DA INTERSINDICAL FAZ A NEOENERGIA NEGOCIAR
24 de novembro de 2013 | Autor: Intersindical Neoenergia
Fonte: Intersindical Neoenergia

Foi realizada na terça-feira, dia 19 de novembro, no Rio de Janeiro, mais uma rodada de negociação entre a Intersindical  e a direção da Neoenergia. Como de hábito, a discussão sobre a pauta de reivindicações da categoria foi bastante desgastante, com duração de 7 horas (14h às 21hs), com intensos debates e formulações de propostas de ambas as partes.

 

A avaliação da Intersindical é que a reunião com a Neoenergia foi positiva, pois foi possível pressionar a Holding, com argumentações bem balizadas, fazendo, por exemplo, que a Diretora de Gestão de Pessoas, Lady Moraes, determinasse aos superintendes  presentes à reunião, que todas as empresas voltassem a negociar imediatamente as pautas especificas, para resolver todas as pendências que estão travando os seus fechamentos.

 

Com relação à pauta unificada a pressão da Intersindical mostrou resultados, pois pela primeira vez na negociação a Neoenergia acenou com a possibilidade de ganho real, mesmo que pequeno, ou seja, o caminho é continuar pressionando em busca de um ACT digno, para isso, a participação de cada trabalhador será fundamental.

 

Estiveram presentes representando os trabalhadores: Paulo de Tarso (Secretário de Finanças da FNU), André Monteiro (Diretor do Sindurb-PE), José Paixão (Diretor do Sinergia-BA),José Fernandes ( Presidente do Sintern),Pedro Damásio (Diretor do Sintern), Cristina Brito (Diretora do Sinergia-BA)Roberto Palma( Sindurb-PE), Marcelo Marinho ( Conselheiro Eleito da Coelba), Gustavo Teixeira ( Técnico do DIEESE da Subseção da FNU) e Renan Costa ( Assessor de Comunicação da FNU).

 

Uma nova rodada de negociação da Intersindical com a Neoenergia acontecerá dia 05/12, até lá os trabalhadores devem continuar mobilizados, prontos para lutar por um acordo digno que trate com igualdade a categoria na Celpe, Coelba e Cosern. Lembrem-se: só conquista quem luta!

 

Neoenergia apresenta proposta de ACT de 2 anos e Intersindical faz contraproposta

 

A negociação foi aberta com uma apresentação da Diretora de Gestão de Pessoas , Lady Moraes, mostrando os dados, a situação atual da Neoenergia e projeções, tudo é claro, com o objetivo de preparar o terreno e apresentar uma proposta ainda distante do que os trabalhadores querem e das reivindicações colocadas em mesa pela Intersindical ao longo do processo de negociação. Além disso, esse ano foi colocada uma novidade na proposta da Neoenergia: Acordo por 2 anos. Uma mudança profunda na forma de negociar, que pode até ser boa, mas desde que venha com ganhos de verdade, sem possibilidade de perdas para os trabalhadores. Veja abaixo as propostas (grafadas em vermelho) da Neoenergia:

 

Cláusula primeira – vigência do acordo- Acordo 02 anos.

Parágrafo único: Fica estabelecida nova data base dos trabalhadores da Celpe, Coelba e Cosern, o dia 1º de Outubro de cada ano- Data base outubro.

Cláusula segunda – estabilidade no emprego para pré-aposentadoria, seja do INSS, seja das fundações- 36 meses indenizável.

Cláusula terceira – refeição subsidiada/vale alimentação- Reajuste de 5,9%

Cláusula quarta – reajuste salarial- de 5.9%.

Cláusula quinta – abono indenizatório a título de participação nos lucros ou resultados – PLR no valor de R$ 800,00.

Cláusula sexta – da participação nos conselhos de administração da Celpe, Coelba e Cosern- Pauta local.

Cláusula sétima – da assistência materno-infantil e educacional – auxílio creche, pré-escola, fundamental completo e mãe guardiã- Reajuste de 5,9% com base de cada acordo.

Cláusula oitava – do assédio moral/exercício do poder disciplinar- Não.

Cláusula nona – plano de carreira, cargos e salários – PCCS- Não.

Cláusula décima – anuênio adicional por tempo de serviço-  Não.

Cláusula décima primeira – piso salarial- Mantém o piso congelado em R$ 1.080,00

 

A intersindical assessorada por números e dados passados pela assessoria do DIEESE, que mostravam a possibilidade real de se avançar na proposta da Neoenergia, apresentou na mesa de negociação a seguinte contraproposta (em azul) que traz avanços para a categoria, veja abaixo:

 

Cláusula primeira – vigência do acordo- Acordo 02 anos.

Parágrafo único: Fica estabelecida nova data base dos trabalhadores da Celpe, Coelba e Cosern, o dia 1º de Outubro de cada ano- Data base outubro.

Cláusula segunda – estabilidade no emprego para pré-aposentadoria, seja do INSS, seja das fundações-     36 meses não indenizável.

Cláusula terceira – refeição subsidiada/vale alimentação- Reajuste de 15%(28,65×25= R$ 716,25

Cláusula quarta – reajuste salarial – 7,54% (INPC 5,58% + 1,96% ganho real)

Cláusula quinta – abono indenizatório a título de participação nos lucros ou resultados – PLR no valor de R$2.000,00.

Cláusula sexta – da participação nos conselhos de administração da Celpe, Coelba e Cosern- Garantia que seja  resolvido.

Cláusula sétima – da assistência materno-infantil e educacional – auxílio

creche, pré-escola, fundamental completo e mãe guardiã- Ampliação do limite de idade para 12 anos e valor do reajuste nas mesas específicas

Cláusula oitava – do assédio moral/exercício do poder disciplinar- Manter pauta.

Cláusula nona – plano de carreira, cargos e salários – PCCS-  Manter pauta.

Cláusula décima – anuênio adicional por tempo de serviço- Manter pauta

Cláusula décima primeira – piso salarial- Mesmo reajuste do salário nos dois anos.

 

 

TRABALHADORES REALIZAM ASSEMBLEIA E SE PREPARAM PARA PARALISAÇÃO DIA 27

 

Diante da proposta rebaixada do grupo Neoenergia que não contempla as reivindicações da categoria, os sindicatos que integram a Intersindical prepararam um calendário de mobilização para que a Holding considere a contraproposta colocada pelos trabalhadores na mesa de negociação. Em cada estado, dentro do planejamento específico, irão ocorrer assembleias para construir a paralisação conjunta do dia 27/11.  Vamos à luta!