Discurso da COSERN não condiz com a prática
11 de dezembro de 2013 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

“POUCA VERGONHA”. Essa é a única expressão que podemos usar para traduzir o desrespeito e o descaso que o Grupo Neoenergia vem dispensando aos seus empregados. A gente se pergunta para que servem  tantos prêmios conquistados pela COSERN do tipo: Prêmio ABRADEE, Prêmio ISO 9001, Prêmio Benchmarking, Prêmio IASC de Excelência em Atendimento e Satisfação do Consumidor e tantos outros, se na hora de reconhecer o esforço  e a dedicação dos seus empregados, a Empresa simplesmente os trata com frieza e desprezo.

A COSERN concede reajustes vergonhosos e ridículos aos trabalhadores que em nada condizem com seus lucros exorbitantes e muito menos com o discurso politicamente correto que faz em seus seminários, palestras e reuniões. Chega de tanta “lavagem cerebral” e hipocrisia ao se intitular a melhor Empresa para se trabalhar, quando na realidade existem inúmeras outras que realmente valorizam os seus empregados com salários e benefícios mais dignos e não são monopólios no Estado do Rio Grande do Norte. 

A COSERN se intitula a que mais investe em programas de incentivo à cultura e na realidade não consegue motivar e incentivar os seus próprios empregados. Até a roupa do coral com a qual o empregado se apresenta representando a empresa é paga pelos coralistas, bem como, o translado em casos de eventos locais.

Se o veículo do empregado for furtado enquanto ele se apresenta no evento, a COSERN ressarcirá esse prejuízo? Patrocina caminhada e programa “Vigilantes do Peso” com o intuito de mostrar a sociedade e convencer seus empregados que se preocupa com a sua qualidade de vida, porém oferece ganho real e reajuste de benefícios de meio por cento. 

O que isso representa para os trabalhadores em termos de melhoria do seu poder aquisitivo? NADA COMPANHEIROS. Isso representa um valor simbólico, uma pequena esmola para o trabalhador.