COSERN prejudica trabalhadores em novo sistema de trabalho do COI
25 de agosto de 2014 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

O SINTERN ao tomar conhecimento do novo horário de trabalho que será implantado no COI, procurou a Direção da COSERN, buscando encontrar uma solução viável que não prejudicasse os trabalhadores daquela área, não só pelo tipo da função, mas também pela segurança de todos que trabalham no sistema elétrico da empresa.

A Direção da COSERN sabe que se trata de uma função de operação de todo sistema elétrico do Estado e das interligações com o sistema de transmissão das fornecedoras.

A atividade do operador é de grande importância, já que são responsáveis pela proteção e segurança dos trabalhadores que estão sob o seu comando para executar as manobras de desligamentos e religamentos. Estas operações exigem que as interferências via sistema de comunicação se realizem com total segurança para aqueles que vão interagir no sistema elétrico de 69 ou 13,8 KV nas áreas urbanas e rurais.

A denúncia é que a COSERN vai implantar as escalas de trabalho com o regime de 6hs sem negociar com o Sindicato.

Ressalte-se que os operadores serão submetidos a escalas de 6 horas, e em regime administrativo de 8 horas. Ao tomar conhecimento das novas escalas o Sindicato solicitou ao Superintende Veiga que não implantasse estas modificações sem negociar com o SINTERN. Infelizmente o Superintendente Veiga de maneira deselegante, autoritária e prepotente, afirmou: “Vou implantar a nova escala custe o que custar”. Essa posição ditatorial não leva a nada, muito pelo contrário trás um acirramento que não vai ser bom para ninguém.

O que deve ser observado pela COSERN é a implantação de uma escala que gere satisfação e motivo para os trabalhadores. Desta forma, a Empresa demonstre que está preocupada com a qualidade de vida dos trabalhadores.

A posição do Sindicato é: Se a COSERN implantar qualquer modificação, simplesmente pela sua vontade, a TRUCULÊNCIA e o ASSÉDIO MORAL serão denunciados ao Ministério público do Trabalho – MPT.