STF nega recurso da COSERN no julgamento do Dissídio Coletivo 2007/2008
25 de agosto de 2014 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

O Supremo Tribunal Federal negou provimento ao Agravo de Instrumento em Recurso Extraordinário interposto pela COSERN referente ao julgamento do Dissídio Coletivo de Trabalho 2007/2008. A decisão do Ministro Marco Aurélio foi publicada no dia 20 de agosto de 2014 reconhecendo os direitos dos trabalhadores, trata-se de mais uma importante vitória.

A COSERN, apenas com objetivo protelativo, após não obter êxito nos julgamentos no TST, apelou, recorrendo para que o processo subisse para o STF. Há 7 anos o Dissídio Coletivo tramita nos tribunais sempre com julgamentos favoráveis à categoria.

È um verdadeiro engodo os cosernianos serem bombardeados com slogans emitidos pela Empresa como se estivesse preocupada com os seus empregados. Na verdade a Companhia dedica-se apenas a sua lucratividade não importa se para alcançar este objetivo tenha que passar por cima dos benefícios dos trabalhadores, conquistados em Acordos Coletivos há mais de 30 anos.

O Dissídio Coletivo 2007/2008 já encontra-se em ação de execução a mais de três anos. A expectativa da categoria agora é que finalmente a decisão judicial resulte no pagamento dos benefícios aos trabalhadores, aposentados e ex-empregados da COSERN.

Fica demonstrado a má vontade da COSERN para com os seus trabalhadores. Jamais a Empresa concedeu espontaneamente qualquer benefício para a categoria. Os benefícios e direitos dos cosernianos são resultado das lutas continuas e transparentes do SINTERN.

Está valendo a paciência, união e determinação da categoria que tem apoiado o SINTERN nesta cruzada jurídica. Todos devem continuar nesta luta até a vitória final.