Coelbanos realizam mobilização vitoriosa
26 de agosto de 2014 | Autor: Assessoria de comunicação do SINTERN
Fonte: Assessoria de comunicação do SINTERN

O Sinergia promoveu ontem, 25, uma grande mobilização em todo estado para denunciar o descaso da Coelba em relação aos prejuízos amargos pelos coelbanos por conta do impasse da Bradesco saúde com os médicos. A adesão da categoria ao chamado do sindicato foi maciça, provando a indignação dos trabalhadores com a situação.

 

A ação de luta tem o apoio da direção do SINTERN. Para a entidade sindical potiguar é preciso respeitar os trabalhadores em seus direitos e conquistas.

 

Dificuldades - Em todo estado os coelbanos têm se queixado da dificuldade em realizar procedimentos e de serem atendidos por profissionais da área médica. A situação foi denunciada pelos membros dos trabalhadores na comissão paritária, que apresentaram, também, alternativas para a Coelba. Mas, apesar da cobrança dos dirigentes, a empresa preferiu a omissão e, indiretamente, apoiar a Bradesco Saúde, pagando inclusive as faturas de forma integral e antecipada, mesmo sem os serviços serem efetuados em sua plenitude.

 

Durante a mobilização, os trabalhadores sugeriam algumas alternativas, entre elas a tentativa de trocar a operadora atual pela Cassi, já que esta pertence ao acionista majoritário do grupo e, em tese, pode prestar um melhor serviço. Os coelbanos reafirmaram também as sugestões apontadas pelos membros dos trabalhadores na comissão paritária.

 

Responsabilidades - O Sinergia entende que a responsabilidade de toda esta situação é da Coelba, uma vez que foi a empresa que decidiu – unilateralmente – terceirizar o plano de saúde. Ademais, o benefício do plano está assegurado no ACT e, portanto, cabe a empresa honrar com o acordo.

 

Nesta semana, o Sinergia aguarda a confirmação da mediação junto à SRTE, que deve se informar a data ainda esta semana. “Estamos atuando em várias frentes para resguardar o acesso do trabalhador aos serviços de saúde. Não iremos aceitar a omissão da empresa, que prejudica e expõe os seus trabalhadores a situações que podem ser irreparáveis”, destaca a direção do Sinergia, que agradece aos coelbanos pela grande adesão ao movimento desta segunda.

 

Com informações do SINERGIA/BA