A pressa é inimiga da boa decisão
01 de abril de 2015 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Os cosernianos estranharam as práticas adotadas pelo Presidente em exercício da COSERN com relação ao pagamento da PLR/2014. Dário Vale convocou os trabalhadores para reuniões com o intuito de pressioná-los a aprovar os objetivos de 2015, nas reuniões enfatizou que o pagamento da PLR/2014 poderia ser realizado de imediato desde que aprovados os objetivos de 2015. E não satisfeito escalou os superintendes, gerentes e gestores para pressionarem os trabalhadores, evidentemente só aquela casta de executivos que se propõem a desempenharem tão condenável prática.

Será que o senhor Dário Vale tem conhecimento que está praticando o condenável ASSÉDIO MORAL e a PRÁTICA ANTISSINDICAL? 

O Sindicato sugere aos trabalhadores que quando abordados por qualquer executivo da Cosern, de qualquer nível, que lhe aborde para insinuar a aprovação dos objetivos; pergunte ao mesmo quanto é a PLR dos executivos e peça que lhe informe a fórmula de calcular. Só lembrando a fórmula para o cálculo da PLR dos executivos, que eles disfarçadamente denominam de RV, ou seja, remuneração variável: 13,33 X Salário X avaliação dos objetivos individuais. Observe que se a avaliação dos objetivos individuais for igual a 1, o executivo receberá 13,33 salários, entenderam a pressão? E tem mais os objetivos deles não são os mesmos dos trabalhadores.

Dário Vale age ardilosamente, nunca na história da Cosern, o Presidente, quando do pagamento da PLR, realizou reuniões para pressionar os trabalhadores. A prática até então era, e que foi implantada pelo saudoso ex-presidente José Roberto, de que quando apurados os objetivos o Presidente apresentava os resultados com antecedência e só 30 ou 40 dias depois o sindicato negociava o pagamento da PLR. E porque Dário Vale adotou essa nova prática? Quer mostrar serviço para tentar ser efetivado como titular? Se for essa a intenção, desculpa, começou muito mal. O Sintern não silenciará e lutará para coibir qualquer atitude deste senhor que vise a prejudicar os trabalhadores. E fica o recado para a Neoenergia, se este cidadão for efetivado como titular na presidência da Cosern o Sintern não lhe dará tréguas, pois irá desenvolver ações para se contrapor a qualquer ação da Empresa na qual ele esteja a frente.

A COSERN mais uma vez foi negligente e só apresentou os objetivos de 2015 quando já transcorrido um trimestre. Por que quando o Presidente em exercício Dário Vale convocou a reunião não entregou a cada trabalhador uma cópia dos objetivos de 2015? Por que não entregou a cada trabalhador os resultados de Janeiro e fevereiro?  Simplesmente por falta de transparência, pois outra razão não há. Os Trabalhadores devem ficar atentos para no futuro não serem ludibriados por aquele que só pensa nele mesmo. As mudanças são substanciais e merecem uma análise minuciosa da categoria e seus representantes sindicais.

Nos objetivos de 2015, de um total de nove, a COSERN colocou três com a pontuação de 150 pontos, isso nunca ocorreu quando da definição dos objetivos de anos anteriores.

A Cosern na verdade quer impor aos trabalhadores os objetivos de 2015, sem observar o que estabelece a legislação que regula este tema e que determina a negociação dos objetivos corporativos entre Empresa e Sindicato.

Os cosernianos reconhecem que os resultados por eles alcançados de 815 pontos em 2014 foi fruto do trabalho árduo e possível de ser alcançado porque foi negociado e aprovado previamente pela categoria com os esclarecimentos  do SINTERN. É necessário que os trabalhadores saibam que os valores aprovados para PLR/2014 não poderão sofrer modificações. Entretanto, como sua aprovação está ligada diretamente a aprovação dos objetivos para 2015, não se pode dar um tiro no escuro especialmente quando esses objetivos apresentam modificações significativas, tais como a redução de dez para nove objetivos corporativos, e destes, três tiveram a pontuação aumentada para 150 pontos, ou seja, os três objetivos representam 450 pontos o que poderá, com todo o esforço dos trabalhadores, resultar em uma PLR insignificante a ser paga em 2016.

Se a COSERN realmente quisesse negociar os novos objetivos de 2015 teria iniciado a negociação no final do ano passado. A urgência na aprovação fará com que no futuro quando for divulgado resultados pífios para pagamento da PLR de 2015, a Empresa justifique afirmando que os mesmos foram aprovados pelos trabalhadores.

A COSERN, assim como o SINTERN, entende que 2015 será um ano desafiador para o setor elétrico. Portanto, modificar os objetivos poderá ser o motivo para que os trabalhadores da COSERN, não alcancem os pontos necessários e que por isto tenham uma PLR irrisória a receber em 2016. 

O Sindicato orienta aos trabalhadores que tenham paciência e que a luta visa garantir uma PLR justa para todos.