Trabalhadores da ABF garantem pagamento de salários e benefícios com nova paralisação
13 de maio de 2015 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Os trabalhadores da ABF Engenharia paralisaram no dia 06/05 suas atividades até que a Empresa realizesse o pagamento dos seus direitos e benefícios. O movimento foi retomado após a terceirizada da COSERN não repassar o pagamento de salários e nem cumprir com as demais verbas trabalhistas, tais como férias, insalubridade e periculosidade. 

Em um ano e meio, esta é a terceira paralisação pelos mesmos motivos. Os eletricistas e agentes de cobrança estão mobilizados e determinados para fazer valer os seus direitos e conquistas.

Os trabalhadores reclamam que exercem jornada de trabalho extenuante e acumulam funções sem receber a mais por isso. Hoje, os agentes de cobrança tem função cumulativa de leitura, entrega de fatura, relocação de medidor, dobrar e selar conta que antes não realizavam.

As condições de trabalho são as piores possíveis e ameaçam a integridade física e mental dos ABFianos. São recorrentes os casos  da falta de EPI e EPC. O fardamento, por exemplo, está sem reposição há 6 meses e os que foram entregues vinheram em quantidade insuficiente. Muitos dos equipamentos utilizados  estão danificadas, tais como escadas e ferramentas.

Desde novembro de 2014, os trabalhadores lutam para que a Data Base seja respeitada com reajustes nos salários e benefícios: como o vale alimentação, locação, produtividade (defasada há 8 anos), férias e locação. O FGTS está sendo descontado, porém a Empresa não repassa ao governo o benefício. Situação idêntica ao Plano de Saúde que já suspendeu a prestação de serviço pela falta de pagamento deixando os trabalhados e seus familiares sem a devida assistência médica.

O contrato entre a ABF e a COSERN segue sem definição e quem paga somos nós? Questionam os trabalhadores sobre uma das possíveis causas da falta de repasse das verbas trabalhistas pela empreiteira. Os trabalhadores estão cansados e desmotivados pelas promessas não cumpridas e pela falta de reconhecimento pela dedicação desprendida em suas atividades.

“Como podemos garantir nossa sobrevivência e das nossas famílias com tamanho descaso da ABF e da COSERN. As contas de energia não atrasam como os nossos salários e benefícios”, afirmam os trabalhadores.

Mesmo com todas as dificuldades, os trabalhadores ainda são assediados moralmente para garantir a produtividade da Empreiteira. A paralisação terá continuidade até que a ABF ou a COSERN se defina quanto ao pagamento dos salários dos seus empregados.

Graças a determinação dos trabalhadores aliado ao empenho do SINTERN, o pagamento dos salários e benefícios foi momentaneamente  resolvido.  Muito ainda precisa ser resolvido, porém com unidade e luta tudo pode ser conquistado.