Passeata em defesa dos direitos trabalhistas reúne mais de duas mil pessoas na capital potiguar
02 de junho de 2015 | Autor: Centrais Sindicais
Fonte: Centrais Sindicais

Na tarde desta sexta-feira, 29, os movimentos sindicais e sociais participaram de Ato Público no Centro de Natal pelo Dia Nacional de Lutas. A concentração ocorreu no Baldo e subiu pela Av. Rio Branco convocando os trabalhadores a se unirem à luta. A mobilização é importante na construção de uma greve geral que é o único possível de barrar este ataque aos trabalhadores.

A ação foi construída de forma unitária por diversas centrais sindicais, onde os principais alvos foram o repúdio ao Projeto de Lei - PL 4330, às MPs 664 e 665. Diversas categorias profissionais de trabalhadores participaram do ato que reuniu mais de duas mil pessoas e percorreu, em passeata, as principais ruas do centro de Natal. Os eletricitários do RN marcaram presença na atividade, representados pelo SINTERN.

A terceirização é algo que está cada dia mais presente em nossas vidas. Entretanto ela só é favorável para o empresário. O trabalhador fica exposto a uma jornada de quase um terço a mais e um salário até 30% menor. Além disso, 80% dos acidentes de trabalho ocorrem entre os terceirizados. O PL 4330 é uma forma de oprimir e explorar a classe trabalhadora para aumentar o lucro. O Congresso já aprovou o PL 4330 que regulamenta esta prática, agora, no Senado, sendo chamado de PLC 30/2015, o projeto continua em tramitação.

Durante o percurso, diversos líderes sindicais também criticaram a Câmara dos Deputados pela aprovação do financiamento privado de campanhas eleitorais, considerado a principal raiz da corrupção no País. Já o Governo federal vem tentando ajustar as contas para pagar a dívida pública. Para isso, ao invés de cobrar de quem tem mais, afinal os bancos tiveram lucros recordes no primeiro trimestre do ano, promovem o arrocho dos trabalhadores, e ataca seus direitos a, por exemplo, seguro-desemprego e pensão por morte.

Outro tema abordado com frequência nas intervenções e alvo de fortes críticas das representações sindicais foi o Projeto de Lei 1411 de autoria do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN). A iniciativa, se aprovada, possibilita a criminalização da prática docente, tipificando o crime de “assedio ideológico”. Integrante da Comissão de Educação da Câmara Federal, o deputado potiguar, que votou a favor do Projeto de Terceirização, quer punir os professores ferindo a liberdade de cátedra, prevista na Constituição, certamente, para deixar a formação ideológica dos alunos por conta da mídia hegemônica.

 Greve geral – Entre outros objetivos, o Dia Nacional de Paralisações e Manifestações em Defesa dos Direitos Trabalhistas teve a intenção de acumular forças para a realização de uma greve geral da classe trabalhadora brasileira, caso Congresso e Governo insistam em aprovar o PL 4330 e as Medidas Provisórias 664 e 665. Esta a quarta mobilização realizada pelas centrais sindicais, entendo que o próximo passo deve ser ainda mais enfático.

O Dia Nacional de Paralisações e Manifestações foi promovido pela CTB, CUT, CSP-Conlutas, Intersindical, Nova Central e UGT. Além do SINTERN, também participaram das manifestações o SINDPETRO, SINSP/RN, SINAI/RN, SINTE-RN; SINTECT; SINDFORTE; SINDRATEC, MST, Levante Popular da Juventude, CMP; SINDSUPER; Sindicato dos Rodoviários; SINDIPETRO-RN, Sindtêxtil/RN, SINSENAT, SINDSAÚDE/RN, entre outros.