Nova paralisação dos trabalhadores da ABF mostra lado desumano da terceirização
29 de junho de 2015 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Os trabalhadores da ABF Engenharia realizaram paralisação de suas atividades pelo segundo mês consecutivo nos dias 8 e 9/06. O motivo? A falta do pagamento de seus salários e benefícios. Este é o quarto movimento grevista em menos de um ano e meio.

Novamente os trabalhadores mostraram determinação e firmeza na luta se dirigindo ao SINTERN para fazer uma frente em defesa de seus direitos e benefícios. Graças a rápida ação sindical e pressionados pelos ABFianos, a terceirizada da COSERN repassou o pagamento dos salários atrasados e assumiu o compromisso de pagar as demais verbas trabalhistas, tais como férias, insalubridade e periculosidade. 

Problema resolvido? Emergencialmente sim! Até quando? Até ao mês que vem? O contrato entre a ABF e a COSERN segue sem definição e quem paga somos nós? Questionam os trabalhadores sobre essa que é uma das possíveis causas da falta de repasse das verbas trabalhistas pela Empreiteira. Os trabalhadores estão cansados e desmotivados pelas promessas não cumpridas e pela falta de reconhecimento da dedicação desprendida em suas atividades.

A situação é apenas uma das sérias consequências da terceirização das atividades da COSERN. Estes trabalhadores sofrem com jornada de trabalho extenuante e acumulam funções sem receber a mais por isso, as péssimas condições de trabalho degradam a integridade física e mental desses trabalhadores e ainda há relatos de assédio moral para garantir o cumprimento de metas da COSERN para a  Empreiteira. 

Como se não bastasse estes problemas, desde novembro do ano passado, os trabalhadores lutam para que a Data Base seja respeitada com reajustes nos salários e benefícios: como o vale alimentação, locação, produtividade (defasada há 8 anos), férias e locação.

Existem denúncias dos trabalhadores que o FGTS está sendo descontado, porém a Empresa não repassa ao governo o benefício. Situação idêntica ao Plano de Saúde que já suspendeu a prestação de serviço pela falta de pagamento deixando os trabalhados e seus familiares sem a devida assistência médica. Como estes trabalhadores podem garantir a sua sobrevivência e de seus familiares com tamanho descaso da ABF e da COSERN? É desta forma que querem aprovar o PL 4330 da terceirização sem limites, se temos como exemplo a prática maléfica contra os próprios tercerizados da COSERN?

A paralisação foi suspensa, mas poderá ser retomada até que a ABF ou a COSERN passem a honrar o pagamento de salários e dos demais direitos trabalhistas assumindo sua relação contratual. Muito ainda precisa ser resolvido, porém com unidade e luta tudo pode ser conquistado.