Intersindical se reúne com nova diretora de RH do Grupo Neoenergia
21 de setembro de 2016 | Autor: Intersindical Neoenergia
Fonte: Intersindical Neoenergia

Representantes dos sindicatos que compõem a Intersindical Neoenergia (Sindurb/Pe, Sintern/RN e Sinergia/Ba) se reuniram na última sexta, 16, com a nova diretora de Gestão de Pessoas da holding, Eunice Rios Guimarães Batista. Este foi o primeiro encontro com a executiva que substituiu a diretora anterior Lady Morais.

Além da diretora e dos sgerentes de RH das três empresas, estavam presentes os dirigentes: Pompeu Henrique, Elton Barbosa e Amarury Vicente, pelo Sindurb/Pe; José Fernandes, Pedro Damásio, Ari, Paulo Barateiro e Liane, pelo Sintern/RN e José Paixão e Paulo de Tarso, representando o Sinergia da Bahia. Presente, também, o assessor de comunicação do Sintern, Adriano Medeiros.

Reunião – Além da apresentação da nova diretora, o primeiro encontro serviu para a Intersindical iniciar os preparativos das discussões sobre a campanha salarial unificada 2016 dos trabalhadores das três maiores empresas do grupo. Os dirigentes fizeram questão de salientar a importância da holding reconhecer o esforço e a dedicação que os trabalhadores tem feito para as empresas passarem praticamente ilesas durante esse período de turbulência no plano econômico e político do país.

A pauta unificada envolvendo as clausulas economicas dos trabalhadores da COELBA, CELPE e COSERN será apresentada pela Intersindical logo após a realização das assembleias de aprovação da pautas pelos trabalhadores.

PLR - Na oportunidade, foi apresentado pela Neoenergia os objetivos, metas e a pontuação para a PLR/2016. A Intersindical vai encaminhar os dados apresentados para análise e avaliação da assessoria do Dieese e submeterá, posteriormente, para as assembleias dos trabalhadores.

Os dirigentes da Intersindical salientaram que os objetivos eram para ter sido apresentados desde o final do ano passado, para que os sindicatos pudessem ter conhecimento antecipado das metas e seu acompanhamento sobre o que de fato foi realizado. Como só agora, as entidades sindicais tomaram conhecimento das metas, os indicadores serão analisados antes de serem negociados e submetidos a aprovação dos trabalhadores nas assembleias.

Durante as discussões foi relatado pela Intersindical que “os trabalhadores das empresas precisam analisar a evolução do cumprimento dos objetivos trimestralmente, mas não há como acompanhar o andamento deste processo com as regras estabelecidas depois do ‘início do jogo’”.

Na avaliação dos dirigentes da Intersindical, a reunião foi bastante proveitosa. De um modo geral, a diretora se mostrou disposta ao diálogo e mostrou-se, muito ética e respeitosa com a representação dos trabalhadores.