AS CONTRADIÇÕES DA COSERN NA MESA DE NEGOCIAÇÃO
03 de novembro de 2016 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Acima de tudo a vida, com dignidade! Mais benefícios sem assédio!

Na quinta-rodada de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho 2016/2017 realizada no dia 03/11, a COSERN mais uma vez expôs suas contradições. Independente da situação ou do assunto abordado, os representantes patronais demonstram o quanto a Empresa explora seus empregados que mais se assemelham a escravos sujeitos a destrato de toda ordem por seus capatazes em uma grande senzala. Veja bem, esta é a mesma empresa para se iniciar uma carreira, que ostenta prêmios e mais prêmios, inclusive fixando na porta de entrada da Companhia, que é a melhor empresa para se trabalhar, porém demonstra sua verdadeira face ao negar a maioria das cláusulas do acordo coletivo de trabalho? 

Pior do que ouvir a bancada patronal simplesmente dizer NÃO é sugerir a RETIRADA de várias cláusulas da pauta de reivindicações em flagrante desrespeito a categoria que sabe que a COSERN tem plenas condições de atender as reivindicações em virtude da alta lucratividade conseguida à custa do esforço e trabalho árduo de seus empregados.

Desta forma, afirmar que os empregados da COSERN estão escravizados não é uma mera analogia. Assédio moral para forçar os empregados a se sujeitarem aos ditames corporativos, demissões sem justificativas mesmo na época da negociação, interpretações errôneas ao bel-prazer do Acordo Coletivo, sonegar direitos dos trabalhadores, jornadas extenuantes de trabalho sem oferecer condições dignas para isso, problemas de isonomia salarial causados pela ausência de um plano de carreira, enfim, são muitas as contradições da empresa que diz ser a melhor para se trabalhar.

As políticas de punições da Empresa são várias: advertência verbal, escrita, afastamento do trabalho e “código de ética” que só pune os menos favorecidos, e ainda assim, os que são da sua conveniência. Não existe política de elogio ou valorização do empregado.