Direção da FNU, CNU, Sindicatos e Federações Regionais reafirmam o compromisso da luta contra a PEC 287 que desmonta a Previdência Social
23 de fevereiro de 2017 | Autor: FNU
Fonte: FNU

A FNU e a CNU realizaram no dia 13 de março a reunião de diretoria executiva das entidades , na oportunidade foram dados informes dos setores, como também sobre a organização do congresso extraordinário, do Encontro de Mulheres da FNU/ CNU que será realizado nos dias 23 e 24 de março, do Encontro de Comunicação dias 05 e 06 de abril, do Seminário sobre o trabalhador terceirizado dias 06 e 07 de abril, assim como foi reforçada a importância da intensificação das lutas contra a privatização nos setores de saneamento e energia. 

No dia 14 de março foi reservado para reunião com os presidentes dos sindicatos e as federações regionais: FRUNE, FITUESP e FURCEN.  A gravidade da conjuntura, onde um governo ilegítimo promove o mais duro ataque aos direitos aos direitos dos trabalhadores da História Republicana, com o total desmonte da Previdência Social e o consequente desmantelamento das estruturas do Estado, mostra que somente com a unidade da classe trabalhadora será possível fazer esse enfrentamento.

Para debater com os trabalhadores os efeitos devastadores do projeto de extinção da previdência social em discussão no Congresso, foi convidado o Técnico do DIEESE, Subseção Sindieletro-MG, Frederico Melo, que afirmou: “Se vocês precisavam de um motivo para a unidade da classe trabalhadora e do povo brasileiro, ele está aí. A reforma da Previdência e da Assistência atinge toda a classe trabalhadora brasileira. E atinge de modo instantâneo. Não há transição para as regras de cálculo dos valores dos benefícios e elas passam a vigorar imediatamente. E mesmo os atuais beneficiários da Previdência pública, sejam do RGPS, sejam de um RPPS, serão afetados pelas mudanças, uma vez que as regras das pensões são modificadas e que há proibição de acúmulo de benefícios. Portanto, todos os trabalhadores e todas as trabalhadoras brasileiras serão afetadas pela reforma, caso a PEC 287 seja aprovada. A PEC 287 dá continuidade aos efeitos negativos da Emenda Constitucional 95 (antiga PEC 241/55) no sentido de restringir, fragilizar e revogar os direitos sociais conquistados na discussão e elaboração da Constituição Federal do país”.

Os dirigentes da FNU, CNU, sindicatos e das Federações Regionais assumiram o compromisso de colocar todas as estruturas em conjunto com a CUT e todas as centrais sindicais, para reforçar a luta contra a aprovação da PEC 287 no Congresso no dia 15 de março, que será uma data de paralisação nacional em defesa da previdência Social.   

É importante lembrar que a CUT está lançando uma grande campanha chamada “Sua Aposentadoria Vai Acabar!”, com farto material para divulgação em todo país. Para acessar a campanha é fácil basta clicar no link  http://cut.org.br/acao/sua-aposentadoria-vai-acabar-ad10/