Entrevista: Diretora do SINTERN fala sobre as perspectivas de trabalho na nova gestão sindical
12 de maio de 2017 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

A diretora do SINTERN, Andrea Freitas, foi entrevistada pelo Jornal A Luz para falar sobre as perspectivas de luta do Sindicato para a gestão 2017/2020. Para ela os desafios desta nova diretoria serão enormes, mas ainda será maior a disposição de superá-los . Acompanhe:

Jornal A Luz - Nos fale um pouco sobre sua experiência de luta junto ao SINTERN

Andréa – Sou diretora do SINTERN no segundo mandato e a partir desta gestão estou entre os diretores com disponibilidade para me dedicar ainda mais as atividades sindicais. As demandas são enormes, pois temos um grande contingente de trabalhadores dispersos em várias empresas em todo o estado. Venho para somar na luta coletiva.

Jornal A Luz – Os desafios para o movimento sindical estão cada vez maiores com as reformas de Temer. Como em sua opinião poderemos superá-las?

Andréa – Devemos cada vez mais melhorar a prestação de serviços para a categoria. Para isso se faz necessário ter organização, planejamento e execução das atividades sindicais. Com esta forma de atuação estaremos sempre mais presentes na base com cada vez mais conquistas para os trabalhadores.

Jornal A Luz – A representação feminina no Sindicato está cada vez maior. Fale um pouco do significado desta contribuição na luta da categoria.

Andréa – As mulheres estão ocupando cada mais lugar de destaque em todos áreas de atuação profissional e no SINTERN não é diferente. Veja que nesse mandato o número de mulehres na diretoria aumentou. Temos ao longo da história mostrado a capacidade de produzir. Mais ainda há um longo caminho a percorrer, pois ainda persistem as desigualdades salariais, assédio moral e a violência contra as mulheres. Daí a necessidade também de ocuparmos um maior espaço na representação sindical. A categoria como um todo e, especialmente as mulheres, podem contar com a minha disposição de luta.