Luta dos trabalhadores tem resultados
11 de janeiro de 2010 | Autor: Direção do SINTERN

Com a aprovação da proposta do Acordo Coletivo de Trabalho 2009/2010 nas assembléias realizadas em todo o Estado de 14 a 18 de dezembro ficou na categoria uma sensação de insatisfação, de que ficou faltando algo. Não é por menos, apesar de conter avanços, o Acordo Coletivo ainda está longe de ser o ideal para os trabalhadores.


    A pauta composta de 56 clásulas mostra que ainda não foi negociado um Acordo Coletivo por completo. Essa situação vexatória persiste a três Acordos consecutivos por imposição da COSERN: no Acordo Coletivo 2007/2008 com todo o Acordo indo para dissídio; no 2008/2009 foi com cinco cláusulas (3ª Prêmio Aposentadoria ou Programa de Desligamento, 4ª Jornada de Trabalho, 17ª Vale Transporte, 32ª Libertação de Diretores e 39ª Ajuda para o Lazer) e no 2009/2010 com seis (as mesmas cláusulas do Acordo anterior mais a 46ª Penalidade). Trata-se de um flagrante desrespeito da COSERN com a categoria e a Justiça do Trabalho, pois leva novamente a Dissídio, as mesmas questões já julgadas favoráveis aos trabalhadores pelo TRT.


    Nas demais distribuidoras do Grupo Neoenergia ocorreram negociação integral do Acordo Coletivo. Na COSERN a situação é discriminatória para os trabalhadores. O objetivo da Empresa é retirar do Acordo as conquistas da categoria. O que deveria ser negociado, a COSERN transfere para o Tribunal decidir.

Manutenção

    Foram mentidas 32   cláusulas no Acordo Coletivo 2009/2010. Em 12 delas não há custo financeiro para a COSERN (veja aqui). A continuidade dessas cláusulas dizem respeito a operacionalidade do Acordo Coletivo e relação Empresa e Sindicato.


    Outras 24 foram mantidas com muita luta da categoria com custo financeiro para a Empresa e têm reflexo direto no bolso do trabalhador, pois trazem consigo benefícios para a melhoria das condições sociais e no trabalho, assistência familiar e financeiro.

Avanços

    O Acordo Coletivo têm 11 cláusulas que tiveram avanços financeiros ou de melhoria salarial para os trabalhadores. No entanto, os índices ficaram muito aquém das expectativas da categoria.


    A COSERN tem condições de melhorar ainda mais estes percentuais para os próximos Acordos Coletivos. Tudo dependerá da mobilização de todos para que se conquistem melhores condições nas negociações.


    Ficou fora da pauta o Empréstimo de Férias; PLR (cuja finalidade é a mudança de objetivos) e Extinção das Atividades Extra COI. Foi garantido empréstimo extraordinário em janeiro ou fevereiro de 2010 de uma remuneração até o limite de R$ 2.000,00 para quem tem margem consignável. Para quem não tem esta margem, terá opção de solicitar a antecipação de 50% do 13º Salário.


    A mudança de objetivos da PLR ficou de ser levada para o Grupo Neoenergia na busca de uma revisão de metas. Esta é a bandeira de luta encampada pelo Comitê Intersindical Neoenergia que reivindica uma participação dos Lucros e Resultados mais favoráveis aos trabalhadores.


    Será preciso na próxima Campanha Salarial aumentar a mobilização para conquistar mais e melhores resultados. Este é um compromisso de luta do qual ninguém poderá deixar de participar.