Balanços da COSERN são um mistério
15 de março de 2010 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

 A COSERN, até o ano de 2006, publicava em seus balanços econômico-financeiros anuais o valor que seria distribuído como PLR, a exemplo do que ocorreu em 2006, quando o balanço registrou R$ 5,097 milhões e a empresa pagou R$ 5.768.224,90.


    Em 2007, o balanço constou R$ 10,305 milhões e a COSERN, sob a alegação de problemas que envolviam dois períodos contábeis, só pagou R$ 5.978.121,46. Em 2008, sem nenhuma justificativa para a situação, a Empresa divulgou no balanço R$ 7,152 milhões e pagou apenas R$ 4.762.424,23. Cabe aos trabalhadores perguntar e o restante da verba divulgada pelo balanço foi para onde ou para quem?


    Em 2009, o problema foi mais grave ainda, pois a verba citada no balanço é maior que no ano passado e a COSERN acena com redução deste valor. Assim sendo, quanto mais reduzido for o valor pago como PLR, mais sobrará dinheiro para os cofres da própria empresa.


    E agora, só tem um porém. O valor citado no balanço é de R$ 7,825 milhões para ser distribuído como participação nos lucros dos empregados conforme a Lei º 10.101, de 19 de dezembro de 2000.


    Portanto, qualquer modificação nos valores da PLR, culminará em ingresso na justiça para cumprimento da Lei. É importante frisar que de forma unilateral, a empresa elabora os índices corporativos colocando situações não condizentes com o desempenho dos trabalhadores, pois na realidade, se assim não agisse, logicamente o índice deveria atender 2% ou seja “ótimo”.