Retrospectiva das mobilizações da PLR
23 de março de 2010 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Em face dos resultados alcançados pela COSERN, conforme publicado em seu balanço, a distribuição da PLR alcançaria classificação “muito bom”; ou seja, o montante a ser pago seria 1,5% do ebtida.


    No dia 13 de março, o presidente do SINTERN, José Fernandes, entrou em contato com a direção do Grupo Neoenergia para tratar da negociação da distribuição da PLR, conforme aprovado pelas assembléias na capital e interior do Estado. Para surpresa do presidente a informação era que não poderia haver a autorização para negociar a PLR,  pois, segundo informação da empresa, a ANEEL havia modificado entendimento, no que concerne a realização da venda de energia no mercado livre. Isso implicaria em uma classificação de “bom” e não de “muito bom”, o que traria prejuízos para todos os trabalhadores.


    O SINTERN por sua vez não poderia ficar omisso, tendo em vista que os acionistas estariam reunidos no dia 18 para discutir o assunto. Portanto, o Sindicato necessitava de alguma ação capaz de exercer pressão por parte dos trabalhadores. Foi convocada de imediato a categoria para uma assembléia e lá foi aprovada quatro dias de mobilização.


    A mobilização deu resultado. O Conselho de Administração da COSERN deliberou que, embora a empresa fosse avaliada como “bom”, o índice da PLR, em caráter excepcional, seria de 1,5%. Valeu a luta do movimento que no final saiu vitoriosa graças a união e determinação dos trabalhadores na defesa dos seus direitos.