Trabalho e Saúde na COSERN na Pós-Privatização
21 de maio de 2010 | Autor: Secretário Geral do SINTERN, Ari Filho
Fonte: Secretário Geral do SINTERN, Ari Filho

Outro dia na empresa, me chamou a atenção o comentário de um trabalhador: “Isso a gente resolve com um Tarja Preta”, quero ver você não dormir. Perguntei em seguida, que tarja preta é esta?


    Rivotril - Sem hesitar logo me respondeu “Rivotril” demonstrando certa intimidade com o tema. Para os que não sabem, trata-se de um dos ansiolíticos (tranqüilizante), antigo e dos mais baratos do mercado, muito utilizado no tratamento do distúrbio do pânico e formas de ansiedade generalizadas.


    Algo me pareceu errado, o que está por trás disso, por que alguns trabalhadores estão buscando ajuda nos consultório de psiquiatria. São muitos as perguntas a serem feitas e talvez uma única resposta.


    Estresse ocupacional - Ora é crescente o número de trabalhadores com problemas de saúde afetados pelo ambiente e as condições de trabalho. As exigências, pressões e mudanças estão entre os fatores que cada vez mais contribuem para o estresse ocupacional.


    Os dados estatísticos do Ministério do Trabalho e Previdência Social mostram que a situação da saúde e segurança no trabalho é grave. A cada dia aumenta os processos de adoecimento por causa da reestruturação produtiva nas empresas, isso deixa os trabalhadores inseguros no ambiente de trabalho.


    Resultados - Apesar das novas tecnologias e inovações no mundo do trabalho, as novas ferramentas na gestão de Recursos Humanos, ganha em eficiência e produtividade, sobrecarregando os trabalhadores sem gerar um emprego novo, em alguns casos há até demissões.


    Quais os resultados desse novo arranjo? À empresa fica mais eficiente e tem a sua lucratividade aumentada e para o trabalhador sobra o quê?

Veja mais:

Crescem os casos de doenças ocupacionais

Manifestação das queixas nos trabalhadores

As sobras dos trabalhadores

Luta contra a terceirização