O que é Assédio Moral?
03 de novembro de 2010 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

O ASSÉDIO MORAL é a EXPOSIÇÃO dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e sem simetrias, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego.

    Caracterização - Caracteriza-se pela DEGRADAÇÃO DELIBERADA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO em que prevalecem atitudes e condutas negativas dos chefes em relação a seus subordinados, constituindo uma experiência subjetiva que acarreta prejuízos práticos e emocionais para os trabalhadores, trabalhadoras e também para a Empresa. A vítima escolhida é isolada do grupo sem explicações, passando a ser hostilizada, ridicularizada, inferiorizada, culpabilizada e desacreditada diante dos pares. Estes, por medo do desemprego e a vergonha de serem também humilhados associado ao estímulo constante à competitividade, rompem os laços afetivos com a vítima e, freqüentemente, reproduzem e reatualizam ações e atos do agressor no ambiente de trabalho, instaurando o pacto da tolerância e do silêncio no coletivo, enquanto a vítima vai gradativamente se desestabilizando e fragilizando, perdendo sua auto-estima.

    Estratégias - As Estratégias do agressor é escolher a vítima e isolar do grupo. Impedir de se expressar e não explicar o porquê. Fragilizar, ridicularizar, inferiorizar, menosprezar em frente aos pares ou não. Culpabilizar / responsabilizar publicamente ou não, podendo os comentários de sua incapacidade invadir, inclusive, o espaço familiar. O objetivo maior é desestabilizar emocional e profissionalmente. A vítima gradativamente vai perdendo simultaneamente sua autoconfiança e o interesse pelo trabalho. Destruir a vítima, desencadeando ou agravando doenças pré-existentes, é outro objetivo. A destruição da vítima engloba vigilância acentuada e constante. A vítima se isola da família e amigos, passando muitas vezes a usar drogas, principalmente o álcool. O assediador atinge seu objetivo quando livrar-se da vítima que são forçados/as a pedir demissão ou são demitidos/as, freqüentemente, por insubordinação. O assediador esconde o GERENTE INCAPAZ que busca impor ao coletivo sua autoridade para aumentar a produtividade.

    A humilhação repetitiva e de longa duração interfere na vida do trabalhador e trabalhadora de modo direto, comprometendo sua identidade, dignidade e relações afetivas e sociais, ocasionando graves danos à saúde física e mental, que podem evoluir para a incapacidade laborativa, desemprego ou mesmo a MORTE, constituindo um risco invisível, porém concreto, nas relações e condições de trabalho.

    Se você trabalhador ou trabalhadora da COSERN  testemunhou ou venha a testemunhar cena(s) de humilhação no trabalho supere seu medo, seja solidário com seu colega. Você poderá ser "a próxima vítima" e nesta hora o apoio dos seus colegas também será precioso. NÃO SE ESQUEÇA QUE O MEDO REFORÇA O PODER DO AGRESSOR.