Primeira Rodada de Negociação: COSERN frustra bancada dos trabalhadores
05 de novembro de 2010 | Autor: Diretor do SINTERN
Fonte: Diretor do SINTERN

A bancada dos trabalhadores saiu frustrada da primeira rodada de negociação. Para a representação da categoria mudou os interlocutores da COSERN, contudo a maneira perversa de agir da Empresa continua a mesma. A sinalização da Companhia é no sentido de não permitir avanços no Acordo Coletivo e, pior ainda, pelas palavras de seus representantes, a intenção é a de suprimir benefícios o que tudo faz crer que os trabalhadores terão que enfrentar o quarto Dissídio Coletivo.

A bancada patronal analisou superficialmente as cláusulas da pauta de reivindicações. Não apresentando justificativas convincentes, nem dados que respaldassem suas argumentações. Limitando-se a apresentar propostas de fechamento de 14 cláusulas, quais sejam:

Cláusula Primeira - Âmbito de Aplicação;
Cláusula Segunda - Vigência do Acordo;
Cláusula Décima – Gratificação de Função;
Cláusula Vigésima Segunda – Assistência ao Filho Excepcional;
Cláusula Vigésima Quinta – Assistência Social;
Cláusula Vigésima Sétima – Justificativa de Falta;
Cláusula Trigésima – Participação na Gestão da FASERN;
Cláusula Trigésima Oitava – Abono Pecuniário de Férias;
Cláusula Quadragésima Quinta – Data-Base;
Cláusula Quadragésima Sétima – Medicamentos para Emergência e Primeiros Socorros;
Cláusula Quadragésima Oitava – Acervo Técnico;
Cláusula Quadragésima Nona – Prorrogação da Licença Maternidade;
Cláusula Qüinquagésima Segunda – Assédio Moral;
Cláusula Qüinquagésima Quarta – Portadores de Deficiência.

Observa-se que os representantes da COSERN ainda não entraram no clima de negociação, já que as cláusulas acordadas não representam custo algum para a Empresa. Quanto às demais cláusulas a promessa é de que se posicionarão nas próximas rodadas de negociação.