O que a vítima deve fazer contra o ASSÉDIO MORAL?
26 de novembro de 2010 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

* Resistir: anotar com detalhes toda as humilhações sofridas.

* Dar visibilidade, procurando a ajuda dos colegas, principalmente daqueles que testemunharam o fato ou que já sofreram humilhações do agressor.

* Evitar conversar com o agressor, sem testemunhas.

* Procurar seu sindicato e relatar o acontecido para os diretores.

* Buscar apoio junto a familiares, amigos e colegas, pois o afeto e a solidariedade são fundamentais para recuperação da auto-estima, dignidade, identidade e cidadania.

Importante: Se você é testemunha de cena(s) de humilhação no trabalho supere seu medo, seja solidário com seu colega. Você poderá ser "a próxima vítima" e nesta hora o apoio dos seus colegas também será precioso. Não esqueça que o medo reforça o poder do agressor!

Lembre-se: O assédio moral no trabalho não é um fato isolado, é na verdade uma repetição ao longo do tempo de práticas vexatórias e constrangedoras. A batalha para recuperar a dignidade, a identidade, o respeito no trabalho e a auto-estima, deve passar pela organização de forma coletiva através dos representantes dos trabalhadores do seu sindicato.
      O fim da humilhação depende também da informação, organização e mobilização dos trabalhadores. Um ambiente de trabalho saudável é uma conquista diária possível na medida em que haja "vigilância constante" objetivando condições de trabalho dignas, baseadas no respeito ao outro com o incentivo a criatividade e a  cooperação entre os trabalhadores.