Neoenergia despreza reivindicação dos trabalhadores
17 de dezembro de 2010 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Mais uma reunião frustrante, outra grande decepção. Este é o sentimento dos sindicatos de Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte com o resultado da reunião realizada no dia 14/12. Apesar da presença da Diretora Executiva de Recursos Humanos do Grupo, Lady Batista de Morais, a reunião foi marcada pela estagnação, um verdadeiro faz de contas.

    Representantes dos três sindicatos compareceram à reunião, pressionaram o Grupo Neoenergia por avanços e apresentaram argumentos inquestionáveis sobre a excelente situação econômico-financeira do Grupo Neoenergia, que acumula até setembro deste ano 57% de lucro em relação ao ano anterior! Algum trabalhador recebeu tamanho aumento salarial? Pois bem, apesar dos lucros bilionários da Celpe, Coelba e Cosern, o Grupo Neoenergia foi incapaz de construir uma proposta condizente com o desempenho dos trabalhadores.

As empresas simplesmente se limitaram à velha e repetitiva justificativa da limitação orçamentária, em detrimento do reconhecimento do esforço do trabalhador. Repetimos: apesar de todo o esforço dos sindicatos, das tentativas de construir uma proposta que contemplasse as reivindicações da categoria, o Grupo Neoenergia foi incapaz de apresentar uma proposta que sensibilizasse os trabalhadores e os sindicatos. Uma proposta abrangendo as prioridades da campanha salarial: PCS Já; Estabilidade para o pré-aposentado; Ganho Real expressivo; 13º talão do tíquete; Abono (que já constitui uma conquista da categoria).

    Os sindicatos enfatizaram que outras empresas do setor elétrico de distribuição (Copel- PR; CEB-Brasília; Escelsa-ES e Cemig-MG), com condições financeiras iguais ou inferiores às empresas do Grupo Neoenergia, fecharam acordos salariais superiores à proposta apresentada pelo Grupo Neoenergia.

    Greve por tempo indeterminado -  Diante deste cenário, da falta de avanços consistentes por parte do Grupo Neoenergia, os sindicatos entendem que não há outro caminho senão intensificar a luta e a mobilização! A história da classe trabalhadora mostra que nenhuma conquista caiu do céu, todas foram fruto de intensa luta e este aprendizado tem que ser mais uma vez posto em prática. Temos que partir para a luta unificada, em Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte. A nossa resposta será através da mobilização!

    Participaram da reunião em Pernambuco os diretores: José Barbosa (Sindurb-PE), André Monteiro (Frune), Pompeu Henrique (Sindurb-PE), Maria Cristina (Sinergia-Ba), Paulo de Tarso (Sinergia-Ba), Regino Marques (Sinergia-Ba), Paulo Barateiro (Sintern-RN), Pedro Damásio (Sintern-RN) e José Fernandes (Sintern-RN).

Vamos todos participar deste momento decisivo da campanha salarial.