Trabalhadores da ABF realizam paralisação de advertência
27 de julho de 2011 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Os Trabalhadores da ABF cruzaram os braços na manhã desta quinta-feira, dia 21 de julho de 2011, por melhores condições de salário. A paralisação foi de advertência à empresa que se nega a atender o pleito dos empregados que não suportam os salários miseráveis.


    Intransigência - Entre as reivindicações estão: aumento salarial com ganho real e que seja compatível com as atividades exercidas por cada trabalhador, bem como reajuste no vale alimentação. As negociações da ABF com Comissão de Trabalhadores tem se arrastado sem que se cheque a uma proposta que atenda este pleito.


    Tudo em virtude da intransigência patronal que mais uma vez alega que o contrato da ABF com a COSERN tem limitações orçamentárias. Acontece que os trabalhadores não podem pagar a conta por estes acordos que ninguém conhece os números e em que condições estão sendo executados.


    Distorções - São estes contratos obscuros feitos com as empreiteiras como a ABF que aumentam a lucratividade da COSERN ano após ano. Em 2010, a Companhia lucrou em torno R$ 250 milhões através da exploração dos 1,6 mil terceirizados em todo o estado.


    Esta situação crítica na qual os trabalhadores terceirizados estão submetidos cria distorções salariais com os trabalhadores da COSERN. Mesmo desempenhando atividades semelhantes, o coserniano tem salário superior se comparado aos empregados das empreiteiras.


    Os trabalhadores da terceirizadas não tem direito a participação nos lucros. Direito este no qual um trabalhador da COSERN ganha só em PLR o equivalente a um ano de salário de um companheiro lotado nas empreiteiras.


    Situação é totalmente injusta, uma vez que os serviços de ligação nova, corte, fiscalização, leitura, entrega de recibos, entre outras atividades fins da COSERN estão sendo realizadas pelos trabalhadores das terceirizadas. Trata-se de flagrante desrespeito ao Termo de Ajuste de Conduta firmado pela Companhia no Ministério Público do Trabalho no qual proíbe a subcontratação de empreiteiras para execução destes serviços.


    Antecipação - No final da manhã, os representantes da ABF propuseram um adiantamento de 7% de reajuste salarial enquanto é negociado um acordo definitivo com a Comissão de Trabalhadores. Esta proposta foi encaminhada pela direção do SINTERN aos trabalhadores que, em assembléia, aprovaram o adiantamento e ainda encaminharam que caso as negociações não avancem, o movimento grevista será retomado no dia 4 de agosto de 2011 em todo estado.


    É bom que fique bem claro que os 7% é apenas um adiantamento. O reajuste salarial definido ainda será negociados entre os trabalhadores e a empresa.
    A ABF tem mais esta oportunidade de resolver suas sérias pendências com seus trabalhadores. Caso contrário, terá que encarar novas paralisações e suas inevitáveis conseqüências.

 

Veja as fotos da paralisação aqui