Intersindical Neonergia entrega pauta unificada
05 de novembro de 2011 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

Os dirigentes da Intersindical Neoenergia entregaram no dia 31 de outubro a pauta unificada dos Acordos Coletivos de Trabalho da COSERN, COELBA e CELPE de 2011/2012. Na reunião ainda foi entregue o estudo elaborado pelo DIEESE com nova metodologia sobre o pagamento da PLR.


    Participaram da reunião representando a Intersidical Neoenergia: José Fernandes, Ari Filho, Paulo Barateiro (SINTERN); Regino Marques e Paulo de Tarso (SINERGIA/BA); André Monteiro e Maria Madalena (SINDURB/PE). Pela Neoenergia: Diretora de Gestão de Pessoas do Grupo Neoenergia, Lady Batista de Morais; Diretor de Gestão de Pessoas da COSERN, Francisco Antonio Veiga de Medeiros; Diretor de Gestão de Pessoas da COELBA, Antonio Pedro Gordilho e diretor de Gestão de Pessoas da CELPE, Bruno Coelho; todos acompanhados pelos seus respectivos assessores gerenciais.


    A reunião teve início com a entrega dos documentos pelo coordenador geral da Intersindical Neoenergia, José Fernandes, para a Diretora de Gestão de Pessoas do Grupo Neoenergia, Lady Morais. Foi um marco histórico para a categoria eletricitária, pois foi a primeira vez que se faz um registro de uma negociação da pauta unificada envolvendo os três sindicatos e a holding.


    Reivindicações - O diretor do Sindurb/PE, André Monteiro, deu início as discussões passando o sentimento dos trabalhadores que desejam uma campanha salarial célere principalmente com a possível mudança acionária. “Se faz necessário estabelecer de imediato um calendário de negociação para dar continuidade ao debate das propostas”, disse o sindicalista.


    Por sua vez, o diretor do SINERGIA/BA, Paulo de Tarso, colocou que é preciso estabelecer uma dinâmica nas negociações. “Devemos perseguir a meta de encerrar as discussões em dezembro próximo antes das festividades de final de ano”, afirmou.


    O coordenador da Intersindical Neoenergia, José Fernandes, destacou a importância da Intersindical para a luta dos trabalhadores. “Foi um avanço na melhoria das relações da categoria com o Grupo. Contudo, neste momento, os eletricitários querem mais determinação e vontade de resolver as demandas que as empresas têm com os seus respectivos trabalhadores” mencionou José Fernandes enfatizando “que não é a quantidade de reuniões que vai determinar celeridade as negociações e sim a seriedade com que o Grupo vai conduzir as discussões”.


    Em seguida o diretor do SINTERN, Paulo Barateiro, afirmou que os números são de conhecimento exclusivo das três empresas e isso dificulta a negociação. “Cada bancada patronal sabe quando e como avançar nas negociações enquanto nós ficamos com as reivindicações dos trabalhadores buscando encontrar fórmulas para se alcançar os objetivos esperados pelos trabalhadores”, disse o sindicalista potiguar.


    Negociações - Em seguida a diretora de Gestão de Pessoas do Grupo Neoenergia, Lady Morais, pronunciou que não há prazo para cumprir os Acordos Coletivos. “Tudo vai depender dos cenários que se apresentarem, mas temos as mesmas intenções apresentadas pelos sindicatos. Com relação a possível venda posso afirmar que não há decisões, nem novidades, portanto temos os mesmos acionistas e ideais”, afirmou Lady.


    Lady ainda se colocou a disposição para iniciar as negociações destacando a importância deste fórum para discutir as cláusulas econômicas dos Acordos Coletivos. Ela destacou que com muita articulação foi aberto este canal de negociação e é importante que o preservemos da melhor forma possível.


    Após o pedido de tempo pela bancada patronal para analisar a pauta unificada, o coordenador do Grupo Neoenergia, Antonio Gordilho, disse que a pauta está muito abrangente e que por isso haverá gargalos a serem superados diante de critérios técnicos de algumas cláusulas tais como: auxílio-creche, diárias de viagens e fundação.


    Para o diretor de Gestão de Pessoas da COSERN, Francisco Antonio Veiga de Medeiros, será necessário discutir as reivindicações junto com as pautas específicas para que na próxima reunião da intersindical se chegue com as propostas para o fechamento. José Fernandes concordou com o posicionamento desde que o fechamento seja feito de forma unificada nas próximas reuniões entre as partes.


    Por sua vez o diretor da SINERGIA/BA, Regino Marques, foi categórico ao afirmar que as negociações da pauta unificada serão realizadas com a holding. Afinal de contas “o suco na COSERN não é diferente do que é feito na COELBA”. A afirmação foi feita para ressaltar a defesa da pauta unificada.


    Ao final da negociação ficou decidido que a próxima reunião de discussão da pauta unificada será realizada na Bahia no dia 24 de novembro em horário e local a ser definido entre as partes.

 

Veja aqui as fotos da reunião.