Gestor presta um desserviço à categoria
17 de fevereiro de 2012 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

O gestor de inspeção e ligação da COSERN quando de reuniões da direção do SINTERN com os trabalhadores, assiste a explanação e em seguida, deturpando as informações prestadas pelo Sindicato liga para a Empresa e  denuncia que a Entidade Sindical está fazendo reuniões e que ele precisa que a reunião se encerre para que os trabalhadores possam atender urgências. Vejam que mentira! Desde quando os trabalhadores da fiscalização atendem a urgências?


    Na última vez que o SINTERN transmitiu informações aos trabalhadores, o mesmo gestor mais uma vez agiu equivocadamente, pois sequer entendeu a mensagem do SINTERN e foi mais além: telefonou para o Gerente  informando que o Sindicato estava afirmando que tinha feito nova denuncia junto ao Ministério Público do Trabalho - 21ª Região – MPT que redundou na multa aplicada à COSERN. Quanto desconhecimento! Será  ignorância ou má-fé? Deixamos a conclusão com os trabalhadores.


    È bom que este Gestor saiba que a luta do SINTERN contra a terceirização já vem a muitos anos, pois desde 1999, acompanha o inquérito Civil Público que resultou na assinatura do Termo de Ajuste de Conduta - TAC no ano 2000 e que desde aquela época a COSERN vem descumprindo. O Sindicato informa ao gestor que a COSERN foi notificada, desde 2008, pelo MPT, e nenhuma providência foi tomada para cessar com a terceirização nefasta por ela imposta, o que levou o MPT a tomar a decisão de interpor Ação de Execução do referido TAC, tendo como conseqüência a decisão judicial que determinou a suspensão da terceirização e aplicou a multa de R$ 1.350.786.116,64.


    Ainda, a título de informação ao gestor denunciante, o SINTERN afirma: “Que sempre foi, é e será contra a  terceirização imposta pela COSERN ilicitamente.” Mesmo que a luta seja criticada pelo gestor, o Sindicato vai continuar na sua missão maior de defender o direito dos trabalhadores.


    Este tipo de comportamento muito se assemelha ao de um capataz, frise-se que muitos na COSERN tem o conhecimento das práticas desse Gestor que ASSEDIA MORALMENTE e PERSEGUE os trabalhadores da fiscalização. Agora, está utilizando os telefones da Empresa para confundir a categoria e colocar os trabalhadores contra o Sindicato. O gestor não perde por esperar as medidas cabíveis que cada caso requer.


    Será que as mudanças que estão ocorrendo na COSERN, estão levando o gestor a agir dessa maneira, tentando galgar um cargo de gerente?