Novo modelo de apuração da PLR negociado com a Neoenergia
18 de abril de 2012 | Autor: Direção do SINTERN
Fonte: Direção do SINTERN

 

O novo modelo agrega conquistas para os trabalhadores, quais sejam:O novo modelo agrega conquistas para os trabalhadores, quais sejam:



a) As empresas que não conseguiam atingir 400 pontos eram julgadas INSUFICIENTES e a PLR era ZERO, como ocorreu com a COELBA e CELPE em 2011. Pelo novo modelo até 400 pontos terá 0,5% do Ebitda como PLR.

b) De 400 pontos em diante será um crescimento linear com benefício para as empresas que pontuarem além dos valores limites de faixa.

c) No modelo antigo além de 875 pontos era 2%. No modelo atual, o crescimento é linear até 1000 pontos, gerando um percentual de até 0,25% a mais, ou seja, para 1000 pontos que é considerado alta performance a PLR pode alcançar até 2,25% do Ebitda.

d) Ao final concluímos que acaba desta forma o risco de termos ZERO de PLR, a partir deste novo modelo. Além da garantia de não termos mais pontuação fixa, pois os pontos alcançados é quem definirá o valor da a ser pago por PLR.

    O gráfico acima mostra que com a adoção do novo sistema, a COELBA que só tinha alcançado 287,5 pontos e CELPE que só chegou a 325 pontos terão 0,5% do Ebtida.