Chega de choradeira, Neonergia!
20 de novembro de 2012 | Autor: Intersindical Neoenergia
Fonte: Intersindical Neoenergia

 

Os dirigentes da Intersindical se reuniram ontem, 19, com a diretora de RH da Neonergia, Lady Moraes, para a primeira rodada de negociação da pauta de reivindicação nacional dos trabalhadores do grupo. O encontro aconteceu no Rio de Janeiro e contou com a presença dos seguintes dirigentes sindicais: André Monteiro e Pompeu Henrique, pelo SINDURB; Cristina Brito e José Paixão, pelo SINERGIA; e José Fernandes e Pedro Damásio, pelo SINTERN, além do representante da FNU Paulo de Tarso.

 

Antes mesmo de iniciar as negociações, os dirigentes sindicais cobraram da Diretora de RH da Neoenergia responsabilidade com as negociações, já que em todas as rodadas com as empresas ainda não foram apresentadas propostas que resultassem em avanços significativos para os trabalhadores. Os dirigentes alertaram que será fundamental a partir de agora avançar nas propostas das pautas específicas já nas próximas rodadas com a Celpe, a Coelba e a Cosern.

 

Com o objetivo de realizar um processo de negociação completo, os representantes dos trabalhadores na Intersindical Neoenergia propuseram um calendário de reunião com a holding, avaliando que apenas um encontro não seria suficiente para exaurir a negociação de todas as cláusulas. Foi acordado a data de 04/12/2012 para mais uma reunião com a Neoenergia.

 

Choradeira - Com relação à negociação ontem, a estratégia da holding não muda: sempre é a mesma choradeira quando se trata de atender as reivindicações dos trabalhadores. Afirmaram que o cenário é ruim, que as dificuldades são muitas e, ainda, que é sempre difícil manter, pelo menos, os benefícios já conquistados pelos trabalhadores.

 

Indignados, os representantes sindicais fizeram várias colocações e exigiram que a Neoenergia apresentasse uma proposta digna para os seus trabalhadores, pois estes geram riqueza todo ano para o Grupo dividir com os seus acionistas (Previ, Banco do brasil e Iberdrola).

 

Diante das colocações, a diretora da Neoenergia se viu obrigada a apresentar uma proposta. Mas, apesar da expectativa dos dirigentes sindicais, o que a holding mostrou foi algo muito aquém do que merece os trabalhadores do Grupo. Vejam, no verso, a proposta indecente apresentada e que, de imediato, foi rejeitada pela INTERSINDICAL NEOENERGIA:

 

Proposta apresentada pela Neoenergia

 

Diante desse cenário, será fundamental a mobilização dos trabalhadores para arrancar uma proposta digna da NEOENERGIA.

 

Conclamamos a categoria para fazer assembleia permanente unificada no próximo dia 29/11. Companheiros, sem luta não conseguiremos arrancar uma proposta que atenda os nossos interesses. Vamos à luta para garantirmos a nossa vitória!

 

Merecemos respeito! Mobilização já!