Notícias Gerais

Trabalhadores cobram da COSERN as promoções do PCCS

Uma das maiores provas de que a COSERN não reconhece e nem valoriza os seus empregados são os critérios discriminatórios para concessão das promoções. Não importa o quanto o trabalhador seja proativo, assíduo, tenha tempo de serviço ou corresponda as expectativas nas tarefas e competências que lhes sejam designadas.

Uma das maiores provas de que a COSERN não reconhece e nem valoriza os seus empregados são os critérios discriminatórios para concessão das promoções. Não importa o quanto o trabalhador seja proativo, assíduo, tenha tempo de serviço ou corresponda as expectativas nas tarefas e competências que lhes sejam designadas.

Com PCCS ou não, uns são promovidos em detrimento de muitos outros, principalmente entre os analistas e agentes. Desta forma, a COSERN passa a ilusão que há crescimento profissional dentro da Empresa. Alguns apadrinhados são promovidos.

O SINTERN tem cobrado, há mais de oito anos, na discussão dos Acordos Coletivos de Trabalho, a implantação do PCCS. No entanto, o Sindicato não tem resposta concreta da COSERN. A COSERN culpa o SINTERN pela ausência do Plano de Carreira devido a tramitação da ação na justiça quando na verdade é a Empresa que não apresenta uma proposta que satisfaça as expectativas dos trabalhadores.

Em setembro de 2017, a Intersindical negociava com a Neoenergia um Plano de Cargos, Carreira e Salários para as três empresas: COSERN, CELPE e COELBA. Na ocasião foi ouvido que a Iberdrola assumiu o controle acionário da Neoenergia e a negociação do PCCS foi suspensa segundo informação dos prepostos da COSERN a interrupção da negociação se deu por ordem dos senhores Mário Ruiz e Ignácio Galán, respectivamente Presidente da Neoenergia e Iberdrola.

Os supervisores, gerentes e superintendente do corporativo quando comparecem a COSERN e reúne os seus subordinados afirmam «já tenho até nomes para promover, mas os empregados da COSERN não podem ser promovidos por culpa do SINTERN…», quando eles afirmam isso, estão mentindo?

O SINTERN desafia os «líderes» do corporativo a provarem que não estão mentindo. O Sindicato desafia também a COSERN e a Neoenergia a explicarem para os trabalhadores porque suspenderam a negociação do PCCS em setembro de 2017, quando a Iberdrola assumiu o controle acionário da Neoenergia, suspendeu por quê? Responde COSERN!

A COSERN não promove porque não quer! Oque ela quer mesmo é assediar e explorar o trabalhador e ficam as perguntas. Na CELPE e COELBA tem PCCS? Quantos empregados destas empresas foram promovidos nos últimos três anos? Se ocorreram promoções, quais foram os critérios? Porque os dirigentes sindicais de Pernambuco e Bahia cobram PCCS para suas empresas?

Está na hora da COSERN parar com enroladas e mentiras no que se refere a concessão das promoções dos trabalhadores. Trata-se um direito e acima de tudo uma questão de respeito e valorização profissional.

Deixe uma resposta