Notícias Gerais

Nova rodada foi realizada com a Cosern

Nunca Marx e seu “Manifesto” estiveram tão atuais como nesse momento em que vive o trabalhador brasileiro

As rodadas de negociação do ACT 2018/2019 estão sendo marcadas pela intolerância, abuso de poder e indiferença para com as reivindicações dos trabalhadores. Prova disso, foi o resultado pífio da última reunião com a Neoenergia para debate das cláusulas econômicas. As formas de exploração do trabalhador sempre foram inúmeras ao longo da nossa história, mas uma coisa sempre foi constante nisso: a concentração do lucro na mão do explorador e nunca do explorado. Nesse momento de afunilamento dos ACT’s das empresas Coelba, Celpe e Cosern, nunca esteve tão clara a postura insensível do Grupo, onde uma minoria concentra o poder de exploração da mão-de-obra e lucra absurdamente com isso. Lucro este, que não é visto, nem tampouco usufruído pelos trabalhadores, mas apenas por esta minoria que detém a exploração da força de trabalho.

NEGOCIAÇÃO INSOSSA

Na rodada de negociação com a Cosern, realizada nesta sexta, 30, a expectativa era de que a empresa apresentasse propostas que respeitassem os direitos e as conquistas dos trabalhadores e proporcionasse avanços mais significativos. Entretanto, mais uma vez, a empresa frustrou os anseios dos trabalhadores. Foram discutidas as cláusulas que não foram pactuadas na última rodada, chegando-se ao fechamento de duas, são elas: Cláusulas 27ª (Homologação) e 74ª (Fornecimento do PPP- Perfil Profissiográfico Previdenciário).

A bancada dos trabalhadores informa que todas as cláusulas do ACT 2018/2019 deverão ser discutidas e acordadas por ambas as bancadas. Após o acordadas em mesa, oportunamente, serão colocadas em votação para os trabalhadores através de assembleias deliberativas, devidamente agendadas.

1 comentário

Deixe uma resposta